Cassilândia, Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

Últimas Notícias

24/02/2014 09:39

IMOL atrasa exames e compromete punição de autores de estupro

Campo Grande News

A punição de autores de crimes de violência sexual, entre eles o estupro, em Mato Grosso do Sul, está comprometida pelo atraso de exames realizados pelo IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), unidade da CGP (Coordenadoria-Geral de Perícias) do Estado.

Conforme o coordenador geral de pericias do Estado, Nelson Fermino Júnior, exames que confirmam se uma pessoa foi vítima de estupro e que comparam material genético de suspeito e vítima são poucos complexos e costuma ficar prontos em até dois meses.

“Mas não temos um prazo específico porque muitas vezes o quantitativo é grande. Isso faz com que se extrapole um pouco os prazos. Em condições normais, em geral, demora de um a dois meses. Mas ultimamente nossa carga tem sido muito grande porque dezembro foi um mês complicado”, disse Fermino.

Ele lembrou que casos de corpos carbonizados, como os de Três Lagoas e de Rio Verde, atrasaram um pouco os outros procedimentos do IMOL, entre eles o de vítimas de estupro.

Para Tânia Regina Comerlato, da coordenação Colegiada do Comcex (Comitê Estadual do Enfrentamento à Violência Sexual), inúmeras são as consequências à vítima quando se demora em investigar um caso de estupro.

“Tem a questão física, emocional e outras, fora a questão da impunidade. Quanto mais demora todo o processo, mais a vítima sofre”, opinou. Ela lembrou que o Comcex tem uma reivindicação antiga com o Poder Público do Estado em relação ao método de trabalho do IMOL.

“Há cerca de 15 anos lutamos para que o IMOL tenha um atendimento especializado e ágil com as vítimas de estupro. Eles, muitas vezes, empurram os casos e causam um caos social”, emendou.

Delegada que investiga um caso de estupro na Capital, Suzimar Batistela, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) disse em entrevista recente, no último dia 17, que cobra do IMOL, todas as semanas, resultados de exames feitos em vítimas e suspeitos de crime.

“Ao menos uma vez por semana cobramos, mas a demanda parece que está grande”, disse sobre o caso de uma jovem de 22 anos estuprada na loja em que trabalhava, no Parque Novos Estados, em Campo Grande, no dia 16 de janeiro deste ano.

Casos de estupro – Dados da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) revelam que entre os dias 1º de janeiro e 15 de fevereiro de 2014, ocorreram 21 casos de estupro em Campo Grande.

No mesmo período do ano anterior foram 56 estupros na Capital. Em 2012, também de 1º de janeiro e 15 de fevereiro, 33 pessoas foram violentadas na cidade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 26 de Maio de 2017
Quinta, 25 de Maio de 2017
13:00
Dicas de segurança
Quarta, 24 de Maio de 2017
14:40
Cassilândia
13:00
Dicas de segurança
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)