Cassilândia, Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020

Últimas Notícias

15/10/2020 15:40

Idoso morto há 12h é levado para prova de vida em banco de SP

O caso aconteceu em Campinas e os envolvidos estão sendo investigados

Midiamax
Idoso morto há 12h é levado para prova de vida em banco de SP

Um laudo do Instituto Médico Legal apontou que um homem que foi levado em cadeira de rodas para uma prova de vida em um banco estava morto havia pelo menos 12 horas. O caso aconteceu em Campinas (SP) no dia 2 de outubro, mas o resultado do exame só foi divulgado nesta quinta-feira (15). As informações são do UOL.

A mulher de 58 anos que levou a vítima deve prestar novo depoimento, e pode ser indiciada por fraude. Ela buscou atendimento na agência do Banco do Brasil que fica no centro da cidade, acompanhada de um casal. O homem, Laércio Della Colleta, de 92, escrivão da polícia reformado, estava sentado na cadeira de rodas, imóvel. Enquanto o casal ficou com o idoso na área de atendimento, que fica no andar térreo da agência.

Enquanto o casal ficou com o idoso na área de atendimento, que fica no andar térreo da agência, a mulher subiu ao primeiro andar e disse para a funcionária que o homem passava.

A ida ao banco era porque ela precisava de uma nova senha de letras para acessar a conta bancária do marido, com quem era casada havia 10 anos, pois tinha esquecido a anterior. Como precisava fazer a comprovação de que ele estava vivo, já que não tinha procuração, levou o homem ao local.

Foi quando um dos atendentes, que tinha ido buscar a senha, estranhou a situação. Quando se aproximou, notou que Laércio estava morto. Pediu a ajuda de um bombeiro civil da própria agência, que também constatou o óbito. Um médico do Grupo de Resgate e Atendimento a Urgências (Grau), do Corpo de Bombeiros, também foi chamado para verificar a situação. Por causa do estado do corpo e do inchaço, ele levantou a suspeita que o aposentado estaria, na verdade, morto há mais tempo.

A mulher não foi localizada pelo UOL e o síndico do prédio também não foi encontrado. A reportagem apurou que Laércio era viúvo, mas as fontes ouvidas não souberam informar se ele havia se casado novamente. Os outros dois que foram até o banco seriam moradores do prédio, e teriam ido ajudá-la, já que o homem estava em uma cadeira de rodas. A mulher pode responder por estelionato e vilipêndio de cadáver (expor um morto), que tem pena prevista de até três anos de detenção.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 30 de Outubro de 2020
10:00
Receita do Dia
Quinta, 29 de Outubro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)