Cassilândia, Domingo, 25 de Junho de 2017

Últimas Notícias

15/04/2004 17:47

IBGE:Cai o número de trabalhadores na indústria paulista

Daisy Nascimento/ABr

A oferta de emprego na indústria cresceu 0,3%, em fevereiro em relação a janeiro de 2004, mas apresentou queda de 0,9% na comparação com fevereiro de 2003. O índice também foi negativo no acumulado do ano (-1,2%) e nos últimos 12 meses (-1,0).

Os dados, divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que no confronto fevereiro 2004/fevereiro 2003, a queda de 0,9% na oferta de emprego foi resultado dos desempenhos negativos de nove dos 14 locais e dez das 18 atividades pesquisadas. De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, a indústria paulista foi a que teve o pior desempenho, com redução de 1,8% no número de trabalhadores. O resultado nacional foi afetado principalmente pelas pressões dos setores de vestuário (-11,8%), papel e gráfica (-6,4%) e têxtil (-6,1%).

A pesquisa do IBGE mostra ainda que o número de demissões superou o de admissões, no primeiro bimestre de 2004, em dez áreas. Dentre elas, São Paulo (-1,9%) e Rio Grande do Sul (-4,1%) destacaram-se com as principais influências negativas.

Em fevereiro de 2004, a folha de pagamento da indústria apresentou resultado positivo de 10,1% em comparação a fevereiro no ano passado e de 8,4% no acumulado do ano, mas houve queda de 2,0%, nos últimos doze meses. Na folha média de pagamento das empresas a pesquisa revela aumentos nos índices mensal (11,1%) e acumulado (9,7%) e recuo no indicador dos últimos doze meses (-1,0%). Entre fevereiro e janeiro, descontados os efeitos sazonais, houve aumento de 4,3% nos salários dos trabalhadores da indústria, o que pode ser explicado, de acordo com o IBGE, pela queda da inflação e o pagamento dos benefícios.

Na comparação com fevereiro do ano passado apenas o Espírito Santo, das 13 localidades pesquisadas, apresentou retração na folha de pagamento. O quadro também foi de crescimento na maior parte dos ramos pesquisados com destaque para os setores de máquinas e equipamentos (30,6%), produtos químicos (16,9%) e alimentos e bebidas (10,1%).

O total do número de horas pagas pelas indústrias aos trabalhadores teve um aumento de 2,2% em relação ao mês de janeiro, já descontado o efeito sazonal. No indicador mensal, observou-se uma pequena queda de 0,2%, mas os indicadores mais abrangentes tiveram retrações maiores: de 1,0% no acumulado do ano e de 1,2% no acumulado dos últimos 12 meses.

Os funcionários das indústrias trabalharam mais em fevereiro. A jornada, entre fevereiro e janeiro, teve um aumento de 0,6%, segundo o indicador de média móvel trimestral, revertendo a trajetória descendente iniciada em dezembro de 2003. Na comparação fevereiro 2004/fevereiro 2003, o indicador do número de horas pagas foi parcialmente influenciado pelo menor número de dias trabalhados em fevereiro de 2004 em relação a fevereiro de 2003, uma vez que no ano passado o Carnaval foi comemorado no mês de março. Nove dos quatorze locais e nove dos dezoito ramos pesquisados exibiram redução nas horas pagas. Em termos setoriais, os resultados mais expressivos foram os dos segmentos de vestuário (-11,4%) e têxtil (-5,2%). Os estados Rio de Janeiro (-5,7%), Rio Grande do Sul (-2,1%), e Espírito Santo (-5,5%) foram os que mais influenciaram negativamente o resultado nacional.

No acumulado janeiro-fevereiro, o número de horas pagas diminuiu 1,0%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Contribuíram negativamente onze locais e onze dos setores industriais. Os maiores impactos negativos foram observados em São Paulo (-1,4%), Rio Grande do Sul (-3,6%) e Rio de Janeiro (-5,2%). No âmbito setorial, a maior pressão negativa foi verificada nos setores de por vestuário (-11,5%) e têxtil (-6,8%).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 25 de Junho de 2017
Sábado, 24 de Junho de 2017
23:07
Loteria
Sexta, 23 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)