Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/04/2004 15:14

IBGE: comércio varejista cresceu em fevereiro

Daisy Nascimento / ABr

As vendas no comércio varejista cresceram 5,11% em fevereiro, acumulando uma alta de 5,56% no primeiro bimestre de 2004 - um crescimento de 9,03% na receita nominal. Em comparação com fevereiro de 2003 o resultado também foi positivo, tanto no volume de vendas (5,11%) quanto na receita nominal de vendas (7,71%). Já no acumulado de 12 meses, o volume de vendas ficou negativo (-2,41%), enquanto a receita nominal de vendas cresceu 12,17%.

A pesquisa mostra também que a pequena redução na taxa mensal de crescimento do varejo, de 5,98%, em janeiro, para 5,11%, este mês, foi influenciada pela diminuição do número de dias úteis, já que, neste ano, o Carnaval foi comemorado em fevereiro.

Das 27 unidades da federação pesquisadas, 21 tiveram resultado mensal positivo, a exemplo do que ocorrera em janeiro. Em fevereiro de 2004, em relação ao mesmo mês do ano anterior, os maiores aumentos no volume de vendas do comércio varejista, segundo o IBGE, foram registrados no Acre (22,49%); Mato Grosso (19,93%); Maranhão (16,69%); Espírito Santo (14,96%) e Santa Catarina (13,47%). No entanto, foram os resultados positivos de São Paulo (6,86%); Minas Gerais (5,58%); Rio Grande do Sul (4,44%); Paraná (8,90%), além de Santa Catarina, que determinaram o avanço do varejo no mês. Já entre os estados que apresentaram resultados negativos, destacaram-se Roraima (-19,41%), Piauí (-11,06%) e Pernambuco (-5,15%).

O segmento de móveis e eletrodomésticos apresentou, pelo segundo mês consecutivo, o maior crescimento mensal no volume de vendas do comércio varejista (16,35%), acumulando um crescimento nos dois primeiros meses do ano que supera o resultado do mesmo período do ano passado, que foi de 17,69%. Este segmento se distingue também no indicador acumulado dos últimos 12 meses por ser o único com variação positiva (2,72%).

Com o resultado de 4,98% em fevereiro a atividade de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo completa um trimestre de crescimento no volume de vendas. Esta seqüência de taxas positivas proporcionou aumento no acumulado do ano (4,04%), e desacelerou a queda no acumulado dos últimos 12 meses, cuja taxa passou de -4,22%, em janeiro, para -3,52%, em fevereiro. O ramo obteve, em fevereiro, desempenho praticamente igual ao do grupo como um todo.

Os resultados do volume de vendas foram: 4,92%, na comparação com fevereiro de 2003; 4,00%, no acumulado do ano, e -3,32%, no acumulado dos últimos 12 meses. No caso deste último indicador, a tendência é de desaceleração da queda, uma vez que, em janeiro, a variação foi de -3,96%.

De acordo com a pesquisa, as últimas taxas de desempenho de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo estão, em parte, influenciadas pelo reduzido nível de vendas no final de 2002 e início de 2003, período em que houve acentuado aumento de preços dos produtos da cesta básica e conseqüente perda de poder aquisitivo da população, o que pode ser observado quando se compara o nível de vendas da atividade em fevereiro deste ano com o de fevereiro de 2002 (-1,15%).

O segmento de combustíveis e lubrificantes mantém o quadro positivo apresentado em janeiro/04, quando vendeu 5,00% a mais, passando para um crescimento de 6,19%, em fevereiro de 2004. Esse desempenho, de acordo com a pesquisa, foi influenciado pela redução dos preços dos combustíveis automotivos, que, segundo o IPCA, caíram 13,1% entre março de 2003 e fevereiro de 2004 e, conseqüente recuperação de consumo. Nos dois primeiros meses do ano, o segmento acumula 5,57%, e nos últimos 12 meses, -2,66%.

O setor de tecidos, vestuário e calçado registrou queda de 5,97%, em fevereiro, na comparação com igual mês do ano anterior, depois de dois meses de resultados positivos. Como conseqüência, o volume de vendas acumula no ano taxa negativa de 2,19%, resultado inferior ao do mesmo período do ano passado.

Do mesmo modo, o indicador acumulado dos últimos 12 meses acelerou sua queda e passou de -2,91%, em janeiro, para -3,64%, em fevereiro de 2004. A atividade de veículos, motos, partes e peças, que não está incluída no indicador geral do varejo, apresentou queda de 0,76% nas vendas, em fevereiro deste ano, depois de três meses de crescimento. No acumulado de 2004 a taxa chegou aos 3,75% positivos sobre o mesmo período do ano passado, e no acumulado nos últimos 12 meses, continuou negativa (-5,81%), superando a de janeiro (-5,53%).

A Pesquisa Mensal do Comércio divulga, pela primeira vez, resultados de cinco setores que passam a ter acompanhamento das variações mensais do volume de vendas e da receita nominal de vendas do varejo nacional, cuja série se inicia em janeiro/04.

As taxas de variação do volume de vendas, em fevereiro/04 em relação a fevereiro/03, foram positivas para os segmentos de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (6,35%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (7,75%) e para outros artigos de uso pessoal e doméstico (19,59%). Na mesma comparação, houve queda no volume de vendas de livros, jornais, revistas e papelaria (-9,68%) e de material de construção (-10,67%).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)