Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

19/10/2005 07:59

Iagro admite que novos focos de aftosa podem surgir

Fernanda Mathias/Campo Grande News

Em entrevista esta manhã ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, o diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), João Cavalléro, admitiu que a existência da possibilidade de constatação de novos focos de febre aftosa, além dos cinco que estariam confirmados. Porém, disse que o controle é muito forte para impedir que a doença saia do raio de 25 quilômetros interditados no Conesul para conter a doença. O primeiro foco foi constatado em Eldorado, a 435 quilômetros de Campo Grande e na região de fronteira com o Paraguai. Outro foco foi constatado no município e outros em Japorã, levando à necessidade de sacrificar quase 5 mil animais. Os proprietários da fazenda onde foi confirmado o primeiro foco, a Vezozzo, alegam que o vírus pode ter sido introduzido no rebanho através do transporte, que teria vindo de Japorã. Naquele município policiais do DOF (Departamento de Operações na Fronteira) constataram fortes indícios de contrabando de animais do Paraguai.
Cavalléro reforçou na entrevista desta manhã que coincidências levam a crer que o foco de febre aftosa constatado em Mato Grosso do Sul teria o Paraguai como origem. Destacou a região das últimas ocorrências da doença na América do Sul – em 1998 em Porto Murtinho, em 1999 Naviraí, em 2000 na Argentina e 2001 Uruguai – e destacou que em todos os casos o vírus era do tipo O1. Sobre as reclamações do Paraguai, de que não teria ocorrido transparência na comunicação do foco, Cavalléro destacou que desde que a suspeita foi confirmada o Panaftosa (Centro Panamericano de Febre Aftosa), que é o centro de referência em Mato Grosso do Sul, foi avisado. “Temos que ter esforço de nossa política internacional, intermediação da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) que permita que entremos em trabalho conjunto com o Paraguai. Precisamos ter uma visão geral do Conesul onde há muitos anos temos problema e não resolvemos”, afirmou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)