Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/09/2008 07:11

HPV: Câncer de colo de útero mata 230 mil mulheres/ano

Agência do Rádio

Todo ano, cerca de duzentas e trinta mil mulheres morrem no mundo vítimas de câncer no colo do útero. Uma das principais causas desse tipo de câncer são as lesões provocadas pelo papiloma vírus humano, o HPV. No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer, o Inca, estima que mais de dezoito mil casos vão ser diagnosticados este ano. Existem mais de cem subtipos do vírus, mas só vinte deles podem evoluir para o câncer. O contágio acontece principalmente pela atividade sexual. Segundo a ginecologista Ceres Oyama, somente dez por cento dos casos de HPV resultam em lesões no colo do útero. Os outros noventa por cento dos casos são resolvidos sem maiores complicações. Por isso, a ginecologista considera alto o número de mortes causadas pela doença.


"Destas 10% que apresentam lesões, 30% é que podem desenvolver o câncer num período de dez anos, ou seja, nós temos aí dez anos para prevenir e evitar que lesões pré-cancerígenas para que a paciente não tenha câncer. Quando a gente olha e verifica todo esse tempo que a gente tem disponível para prevenir o câncer de colo de útero, nós achamos um absurdo, realmente, essa incidência de câncer no País."

Segundo Ceres Oyama, o HPV nem sempre apresenta sintomas. Por isso, é importante que as mulheres façam acompanhamento ginecológico constante. Também é preciso fazer exames como o Papanicolau pelo menos uma vez por ano.


"Deve ser feito a partir dos 18 anos ou até seis meses após o início da atividade sexual. Esses exames devem ser feitos anualmente, entretanto, esse intervalo pode ser modificado, pode ser que a gente precise reduzir esse intervalo para seis meses, dependendo das alterações encontradas, e o contrário também pode acontecer, aquela paciente que apresenta três anos seguidos normais, sem nenhuma alteração, ela pode começar a fazer os exames a cada três anos."

A ginecologista afirma que a melhor maneira de evitar a contaminação pelo HPV é o uso da camisinha. O tratamento é feito dependendo da gravidade do vírus. Na maioria dos casos, apenas uma pomada é suficiente, mas nos tipos mais graves, pode ser preciso retirar todo o útero ou parte dele.

Reportagem, Luciana Cobucci

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)