Cassilândia, Quinta-feira, 19 de Julho de 2018

Últimas Notícias

29/12/2017 10:40

Hackers invadem Wi-Fi do Starbucks e usam para minerar moeda virtual

Midiamax

Todo mundo sabe que usar Wi-Fi em locais públicos é perigoso, porque as informações que o seu celular ou notebook envia e recebe podem ser facilmente interceptadas por um hacker – que pode estar sentado dentro do próprio café. Para diminuir o risco, a maioria dos sites e dos aplicativos usa conexões criptografadas, que protegem parte dos dados. Mas acaba de surgir um ataque muito mais criativo, e que tende a se espalhar pelas redes Wi-Fi em 2018: usar o computador das pessoas, sem que elas saibam, para minerar criptomoedas. 

O primeiro caso foi relatado pelo site Motherboard, e aconteceu em três cafés da rede Starbucks em Buenos Aires. Ao se conectar à rede Wi-Fi dessas lojas, o programador Noah Dinkin notou algo estranho: depois que ele entrava na rede do Starbucks, seu notebook demorava dez segundos para abrir a página de confirmação (landing page) com o logotipo da rede. A grande maioria das pessoas não daria nenhuma bola para isso, mas Dinkin resolveu olhar o código-fonte da página – e dentro dele descobriu o CoinHive, um software usado para minerar moedas virtuais.

É um programa muito leve, com poucas linhas de código escrito em JavaScript, mas com uma habilidade notável: usa o computador da pessoa para minerar Monero, uma moeda virtual, enquanto ela está conectada à internet. O Monero é muito mais fácil de minerar do que o bitcoin, e por isso pode ser obtido dessa forma, sem que as vítimas percebam. O único sintoma perceptível é que o processador do laptop ou desktop fica extremamente ativo, como se estivesse rodando algo muito pesado, sem qualquer motivo aparente. Ao longo de um mês, e tendo uma boa quantidade de vítimas, os hackers podem obter milhares de dólares em lucro.

O Starbucks admitiu o problema, que estaria ligado à Fibertel, empresa que gerencia suas redes Wi-Fi na Argentina. Alguém teria invadido a rede dessa empresa e, de uma só vez, plantado o CoinHive em vários cafés do país.

A mineração forçada é a nova onda da internet, com mineradores sendo plantados em torrents, em páginas de conteúdo erótico e até em sites legítimos: em setembro, quem fosse assistir a séries no site americano Showtime (que pertence à rede de TV CBS) tinha o computador dominado pela mineração.

Para se proteger, a recomendação é instalar plug-ins como o Anti Miner ou o No Coin, que prometem barrar as tentativas de mineração forçada – e podem ser baixados na Chrome Web Store.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 18 de Julho de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
Terça, 17 de Julho de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
Segunda, 16 de Julho de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)