Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/07/2008 08:40

Há 165 anos entrava em circulação o 1º selo postal do

MS Ascom

Em 1º de agosto os Correios e filatelistas celebram o Dia do Selo Postal Brasileiro. Nesse dia, em 1843, circulou a primeira emissão postal brasileira, conhecida como “Olho-de-boi”. O Brasil é reconhecido como o segundo país do mundo a emitir selos, ficando atrás da Inglaterra, que em 6 de maio de 1840 emitia o “One Penny Black”, por sugestão de Rowland Hill, maestro e administrador do Real Correio Britânico na época.

Anteriormente, os correios do mundo todo faziam o envio de cartas e outros objetos para serem pagos pelo destinatário na hora da entrega, o que freqüentemente era recusado, comprometendo a viabilidade dos serviços de Correios até então. A idéia de Rowland Hill era de que fosse afixado na parte externa das mensagens um recibo do valor cobrado para a entrega do objeto, atestando que o serviço de correio havia sido pago. Com isso, a expansão dos serviços de coleta e entrega de correspondências teve grande impulso, e a sustentabilidade financeira dos serviços de correio estava assegurado.

Inspirado pelo sucesso do correio inglês, o então imperador do Brasil, Dom Pedro II instituiu no então Correio Régio do Brasil a reforma postal, que tinha como principal mudança a adoção dos selos, com pagamento do serviço pelo remetente. Assim como na Inglaterra, essas alterações no serviço postal contribuíram para o sucesso e impulso da atividade postal no Brasil.

Olhos de bichos no lugar da face do imperador - Emitidos em 1 de agosto de 1843, Os primeiros selos, conhecidos como “Olho-de-boi”, traziam como imagem apenas os seus valores expressos em réis (reais): 30, 60 e 90 réis, para franquear os valores pagos nas tarifas postais da época. Receberam esse nome pelo seu desenho se assemelhar a um olho de boi. Curiosamente, ao contrário dos Penny Black, que traziam estampada a efígie da Rainha Vitória, os “Olhos-de-boi” estampavam as cifras de porte por ser proibido no Brasil a estampa da imagem do imperador em objetos.

Previstos inicialmente para terem tiragem de 6 milhões unidades, os "Olho-de-Boi" tiveram impressa somente a tiragem de 1,1 milhão de unidades, sendo substituídos no ano seguinte por uma nova emissão chamada de "Olho-de-Cabra", ou ainda "verticais" ou "inclinados", por terem desenho mais oval, formato retangular e trazerem a cifra grafada em itálico. Os “Olho-de-Cabra” eram estampados em 7 diferentes cifras: 10, 30, 60, 90, 180, 300 e 600 réis, diferentemente de seus antecessores, “Olho-de-boi”, impressos somente nos valores de 30, 60 e 90 réis.

Em 1850, os “Inclinados” foram substituídos pelos “Olhos-de-gato”. Estes selos também traziam como estampa as cifras de 10, 30, 280 e 430 réis, estes dois últimos reservados para correspondências enviadas à Europa. A novidade nesta época era que esta série era impressa em uma cor para cada cifra, diferenciando-se das séries anteriores, impressas somente na cor preta.

A partir de 1866 — 17 anos depois da primeira emissão, eram lançados os primeiros selos que traziam a efígie do Imperador D. Pedro II, a exemplo dos pioneiros selos britânicos. Desta época datam as estampas com valores variando de 10 a 1.000 réis, com pequenas alterações no tamanho, cor e na face de D. Pedro, chegando inclusive a ser “atualizada”, trazendo na sua última emissão, em 1884, a imagem do rosto do imperador já idoso. Pouco antes, em 1878, era lançado o “auriverde”, o primeiro selo impresso em duas cores no Brasil, com a efígie do monarca em verde no centro da estampa e as demais inscrições em amarelo.



Selos marcaram o fim da monarquia - Após a Proclamação da República em 1889, as imagens de D. Pedro e da Coroa Portuguesa deram lugar à ilustração “Alegoria da República”, simbolizando o novo período político que vivia o Brasil. Esta nova série trazia a ilustração de uma cabeça feminina e eram impressos em duas cores. Um erro de impressão fez com que uma das tiragens trouxesse o texto “100 réis - Brasil - Correio” grafado de cabeça para baixo. Tal fato faz deste selo um exemplar raríssimo junto aos filatelistas do mundo todo. No mesmo ano, ocorreu também a emissão “Cruzeiro do Sul”, que eram ilustrados pela representação da constelação que pode ser vista em todo o hemisfério sul e que é símbolo do Brasil.

Em 1890 é lançado o selo “Cruzeiro”, trazendo também a estampa da constelação Cruzeiro do Sul. Desta vez, a tiragem foi impressa em tipografia, de modo rudimentar. A série Alegoria da Liberdade —uma reedição do “Alegoria da República” trazia uma novidade: era o primeiro selo colorido totalmente estampado no Brasil. Antes disso, os selos eram impressos pelo American Bank Note & Co, empresa estadunidense especializada em impressos de segurança. No ano seguinte — 1891, surge o primeiro selo bicolorido impresso no Brasil, conhecido popularmente como “tintureiro”, era uma reedição do “Alegoria da República/Liberdade”, sendo reemitidos em proporções, cores e cifras diferentes até meados de 1900, quando foram então lançados o primeiro selo e o primeiro bloco comemorativos do Brasil.



Primeiro selo, bloco e carimbo comemorativo - O primeiro selo comemorativo celebrava os 400 anos de descobrimento do Brasil. As quatro diferentes estampas traziam a imagem das caravelas, o descobrimento dos povos nativos, as entradas e Bandeiras e instituição da República. Nesse ano, os Correios passaram a oferecer o serviço de Colis-Postaux (pronuncia-se “cólî-postô”) — encomendas internacionais por via marítima. Em 1904 surgia em Curitiba o primeiro carimbo comemorativo, lançado na Exposição do Paraná, em festividades aos 50 anos de emancipação político-administrativa do estado do Paraná. Pouco depois, em 1907, era lançado o primeiro selo comemorativo com repercussão internacional: uma série de dois valores — 100 réis, em carmin; e 200 réis, em azul — para marcar o 3º Congresso Pan-Americano de Correios. Em outubro de 1938 era emitido o primeiro bloco comemorativo, durante a 1ª Brapex - Exposição Filatélica Internacional, ocorrida no Rio de Janeiro, então Capital Federal. O Bloco continha dez selos trazendo em cada um a efígie de Rowland Hill, o pioneiro do correio inglês e assinalava a data de realização da exposição.



Modernização com a criação da ECT - Até 1968, os selos brasileiros eram impressos de forma rudimentar. A partir da modernização do parque gráfico da Casa da Moeda do Brasil e da criação da ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, a filatelia ganhou um grande impulso. A Casa da Moeda passou a contar com impressos de segurança mais confiáveis e a ECT contratou desenhistas promissores e artistas plásticos para melhorar a qualidade visual das novas emissões e incrementar a filatelia brasileira. A partir das novas concepções artísticas, os selos brasileiros ganharam reconhecimento internacional, conquistando importantes prêmios do setor. O mais recente selo premiado foi o bloco “Piracema”, lançado nacionalmente em Campo Grande em 2005. Foi premiado em 2006 como “Melhor tema e participação” no Quinto Concurso Anual do Selo Estrangeiro, ocorrido na China.



Selos brasileiros pioneiros - Em 1974, os Correios lançavam o primeiro selo do mundo com inscrições em Braille, e em 1989 era emitido o primeiro selo brasileiro com imagens tridimensionais (holográficos), o segundo do mundo. Em 1999, eram lançados os selos “Parques Nacionais — Prevenção a Incêndios Florestais”, que traziam como forte apelo ambiental o odor de madeira queimada, exalado ao se raspar a estampa do selo.



Serviço - No site dos Correios (www.correios.com.br), em “Selos e Conveniência - Filatelia” é possível conhecer todos os selos brasileiros lançados a partir de 1997, com imagens e editais de lançamento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)