Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

17/02/2005 15:39

Guia escolar terá tiragem ampliada

ACS - MEC

A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC) vai ampliar a tiragem do Guia Escolar: Métodos para Identificação de Sinais de Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Editado em parceria com a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, o guia orienta professores e profissionais da educação na solução de problemas de abuso e exploração sexuais de crianças e adolescentes.

Lançado em 2003 e reimpresso em 2004, o guia deve ter uma tiragem de 500 mil exemplares. “Vamos distribuí-lo em todas as escolas da rede pública ainda no primeiro semestre deste ano”, afirmou o diretor de educação para a diversidade e cidadania da Secad, Armênio Schmidt.

Dados da Secretaria Especial dos Direitos Humanos revelam que 70% das vítimas de abuso e violência sexual têm menos de 12 anos de idade. Ou seja, estão em idade escolar. O Ministério da Educação vem investindo na capacitação e na formação dos professores para que eles se tornem parceiros na detecção e prevenção desse tipo de violência. “O abuso e a violência sexual contra crianças e adolescentes precisam entrar na pauta das escolas, ser tema de seminários e discussões para mobilizar não só professores, mas alunos e famílias”, observou Schmidt.

Enquanto não inicia a distribuição na rede pública, o MEC permite o acesso ao guia na internet. A obra é usada na capacitação de trabalhadores da educação desde o ano passado.

Programa – Este ano, 600 professores de Belém, Fortaleza e Recife foram capacitados para atuar no programa Escola que Protege. Lançado como piloto nas três capitais, o programa pretende quebrar o ciclo de violência sexual a partir da escola.

O Escola que Protege vai atender 180 crianças e adolescentes em cada uma das capitais, além de 140 pais. O atendimento prevê apoio psicopedagógico a vítimas e agressores, além de palestras sobre temas como direitos humanos e Estatuto da Criança e do Adolescente.

Após os seis meses, o programa será avaliado. Caso a eficácia seja comprovada, ele se tornará política pública.

Repórter: Iara Bentes

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)