Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

16/10/2007 13:54

Governo quer restringir venda de bebidas nas estradas

O governo deve enviar ao Congresso Nacional nos próximos dias uma proposta para proibir a venda de bebidas alcoólicas nas rodovias federais. Segundo o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Armando Félix, a proposta deve alterar o conceito de bebida alcoólica para efeito de propaganda, o que incluiria aquelas com teor acima de 0,5 grau Gay Lussac, e não apenas acima de 13 graus, como ocorre atualmente. Com a mudança, será proibida também a venda de cervejas, vinhos e “coollers” nas estradas. Além disso, o Ministério da Justiça deverá entrar para o Conselho Nacional de Trânsito.

"O álcool é o maior dos vilões, embora seja uma droga lícita. O envolvimento do álcool em todos os tipos de violência que existem, desde a violência doméstica, crimes de morte e acidentes de trânsito. As estatísticas nos mostram que é preciso fazer alguma
coisa e com urgência", disse o ministro Armando Felix, que também preside o Conselho Nacional Antidroga.

O governo pode atender ao pedido do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), para que a proposta seja encaminhada na forma de um projeto de lei, embora o ministro Armando Félix não esconda a preferência pela edição de uma medida provisória (MP), o que daria agilidade à implementação das medidas.

Indústria

Segundo o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, governo e fabricantes de bebidas estão negociando as restrições. “A gente sente uma disposição delas [indústrias] em trabalhar para colaborar também porque os indicadores são contundentes", disse.

Segundo o ministro, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) ficaria responsável pela regulação e normas para a venda de bebidas nas estradas e a Polícia Rodoviária Federal pela fiscalização.

Armando Félix considerou insuficiente uma mudança no Código Penal para garantir punições mais pesadas para os envolvidos em acidentes de trânsito após o consumo de álcool ou drogas.

"É uma posição mais da sociedade do que minha de que em algumas áreas é preciso uma rigidez maior, uma sanção mais pesada para que isso sirva de freio para as pessoas. Essa nossa proposta é uma das muitas medidas para que a gente consiga reduzir esse consumo abusivo do álcool", afirmou.


G1

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Sábado, 19 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)