Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

09/03/2007 13:47

Governo envia ao Congresso proposta que limita greve

O governo anunciou ontem que enviará ao Congresso Nacional ainda neste semestre uma proposta que regulamenta a negociação coletiva no setor público e outra que delimita o direito de greve em órgãos federais, estaduais e municipais considerados imprescindíveis à sociedade. A primeira agradou aos sindicatos ligados ao funcionalismo. A segunda, não. De acordo com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, é preciso ter “regras claras” para que as paralisações não provoquem descontinuidade nos serviços essenciais.

Bernardo se reuniu com entidades filiadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT) para explicar de que forma o Executivo pretende encaminhar o assunto. Segundo o ministro, o diálogo será constante e aberto. “O que não pode é ter uma greve de 100 ou 120 dias. Vamos discutir, por exemplo, com que antecedência a sociedade será avisada em caso de paralisação. O cidadão tem de ter a garantia de que uma parte do serviço estará garantida”, afirmou.

Embora afinados com o discurso oficial, os sindicalistas foram pegos no contrapé. As entidades contavam com um recuo de Paulo Bernardo, que na semana passada — depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva — declarou que greves em alguns segmentos da máquina estatal seriam proibidas. Bernardo não só manteve a afirmação, como cobrou maturidade dos representantes dos trabalhadores. “Parece que os sindicatos estão enxergando mais à frente. Eles querem institucionalizar a mesa de negociação, torná-la uma política de Estado e não de governo”, completou.

Para o presidente da CUT, Artur Henrique da Silva Santos, a greve é um direito. “Não há o que se falar”, resumiu. Preocupado com o movimento iniciado pelo governo, Artur justificou que nenhuma paralisação em áreas consideradas essenciais jamais deixou o cidadão sem o mínimo de atendimento. “Não há abusos. Se há é por parte de quem não negocia. O que existem são reações”, reagiu. (Correio Braziliense)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)