Cassilândia, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

09/03/2007 13:47

Governo envia ao Congresso proposta que limita greve

O governo anunciou ontem que enviará ao Congresso Nacional ainda neste semestre uma proposta que regulamenta a negociação coletiva no setor público e outra que delimita o direito de greve em órgãos federais, estaduais e municipais considerados imprescindíveis à sociedade. A primeira agradou aos sindicatos ligados ao funcionalismo. A segunda, não. De acordo com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, é preciso ter “regras claras” para que as paralisações não provoquem descontinuidade nos serviços essenciais.

Bernardo se reuniu com entidades filiadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT) para explicar de que forma o Executivo pretende encaminhar o assunto. Segundo o ministro, o diálogo será constante e aberto. “O que não pode é ter uma greve de 100 ou 120 dias. Vamos discutir, por exemplo, com que antecedência a sociedade será avisada em caso de paralisação. O cidadão tem de ter a garantia de que uma parte do serviço estará garantida”, afirmou.

Embora afinados com o discurso oficial, os sindicalistas foram pegos no contrapé. As entidades contavam com um recuo de Paulo Bernardo, que na semana passada — depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva — declarou que greves em alguns segmentos da máquina estatal seriam proibidas. Bernardo não só manteve a afirmação, como cobrou maturidade dos representantes dos trabalhadores. “Parece que os sindicatos estão enxergando mais à frente. Eles querem institucionalizar a mesa de negociação, torná-la uma política de Estado e não de governo”, completou.

Para o presidente da CUT, Artur Henrique da Silva Santos, a greve é um direito. “Não há o que se falar”, resumiu. Preocupado com o movimento iniciado pelo governo, Artur justificou que nenhuma paralisação em áreas consideradas essenciais jamais deixou o cidadão sem o mínimo de atendimento. “Não há abusos. Se há é por parte de quem não negocia. O que existem são reações”, reagiu. (Correio Braziliense)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 22 de Janeiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 21 de Janeiro de 2017
20:55
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Sexta, 20 de Janeiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)