Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

13/03/2013 15:47

Governo do Estado muda lei para manter concurso para delegado

Campo Grande News/ Nadyenka Castro e Luciana Brazil

O Governo do Estado mudou a Lei Orgânica da Polícia Civil para manter o concurso para delegado, que havia sido suspenso pela Justiça, a pedido do MPE (Ministério Público Estadual) por não reservar vagas para deficientes físicos.

Diante da determinação judicial, o Executivo encaminhou nesta quarta-feira à Assembleia Legislativa Projeto de Lei que normatiza as exigências para o exercício das funções dos cargos das carreiras, modificando o artigo 1º da Lei Complementar de 2005.

Agora, para o ingresso na Polícia Civil passa a ser exigida “plena aptidão física e mental, comprovada mediante parecer médico emitido por junta médica oficial específica a ser designada”. Em função dessa alteração, dispõe a nova Lei que “não haverá reserva de vagas para pessoas com deficiência em razão da exigência de plena aptidão física e mental para o exercício da função policial civil”.

Com a nova lei, tornam-se obrigatórias avaliações de natureza médica-odontológica (de caráter eliminatório), de aptidão física, investigação social e curso de formação policial, comprovando a habilitação dos candidatos.

Durante a sessão, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) ocupou a tribuna pedindo para que fosse incluída a emenda sobre as cotas para deficientes. “O deficiente físico pode não ter um dedo e fazer tudo”, disse. Mas, foi voto vencido.

O deputado estadual Cabo Almi (PT) declarou que acredita que “a intenção do governo foi evitar que as vagas a deficientes fiquem abertas”.

Para Júnior Mochi (PMDB), “é importante lembrar que esse concurso é para quem está em forma física e mental na plenitude. Não é justo fazer a pessoa passar em concurso para depois não ser aceita”.

O concurso foi suspenso pelo desembargador Fernando Mauro Moreira Marinho. Conforme decisão dele, nenhuma etapa pode ser realizada, sob pena de multa diária de R$ 3 mil.

A primeira tentativa para derrubar as exigências foi na Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, mas a liminar foi negada.

O Ministério Público já havia conseguido retirar a exigência do exame de HIV. O concurso chegou a ter o prazo de inscrições reabertos após o fim da requisição de que os candidatos comprovassem três anos de atividade jurídica. O salário é de R$ 9.035,55.

O edital não detalha em quais municípios as vagas foram distribuídas. Só informa que Campo Grande não terá vaga.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)