Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

06/11/2008 15:51

Governo adia resposta às reivindicações de frigoríficos

Fernanda França/Campo Grande News

O governo do Estado adiou a resposta às reivindicações dos proprietários de frigoríficos, que estiveram reunidos esta tarde com o secretário-adjunto de Fazenda, Gilberto Cavalcanti.

Além de alguns proprietários de frigoríficos, esteve presente na mesa de negociações o vice-presidente da Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidoras de Carne de Mato Grosso do Sul), João Alberto Dias.

A principal reivindicação do setor é que o governo estenda a redução da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que será de 2%, para as transações interestaduais com carne bovina.

Isso porque o governador André Puccinelli (PMDB) determinou que a alíquota caia pela metade, mas só para a comercialização de carne dentro do Estado. Ontem o índice era de 25% de redução, o Estado atendeu a solicitação para corte maior, mesmo assim os frigoríficos não se contentaram.

O vice-presidente da Assocarnes afirmou que o secretário-adjunto de Fazenda apenas anotou as reivindicações da categoria e prometeu discutir o assunto com o governador. Posteriormente, os proprietários de frigoríficos e representantes do setor serão novamente convocados para nova rodada de negociações.

“O secretário vai consultar o governador, a ordem agora, inclusive, é ficarmos calados, esperando este posicionamento. Ele vai nos ligar e avisar sobre a próxima reunião”, afirmou João Alberto Dias.

Ao anunciar a redução, nesta quarta-feira, Puccinelli cobrou responsabilidade social dos frigoríficos, assegurando os empregos. Isso porque vários deles suspenderam atividades nos últimos meses, alegando dificuldades de competir com os grandes grupos na compra do gado para abate.

Sobre este compromisso, João Alberto Dias disse que a manutenção de empregos está condicionada a esta ampliação da redução de ICMS também para as transações interestaduais.

“Praticamente 95% da carne que é produzida aqui no Estado é vendida para fora de Mato Grosso do Sul, então essa redução para as transações internas não refresca muito a nossa situação. E a manutenção dos empregos está totalmente condicionada a isso”, explicou o vice-presidente da Assocarnes.

Ainda não há previsão de data para a realização da próxima reunião entre governo e o setor frigorífico.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)