Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/01/2006 14:16

Globo obtém liminar e não paga as filhas de Garrincha

Murilo Pinto - STJ

A TV Globo obteve no Superior Tribunal de Justiça (STJ) medida liminar para determinar a suspensão do pagamento imediato de indenização no valor de R$ 4,79 milhões pelo suposto uso indevido da imagem do jogador Garrincha. A decisão é do presidente do STJ, ministro Edson Vidigal.

A ação ordinária foi julgada procedente, e o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) deu provimento parcial à apelação da emissora, reduzindo o valor apurado da indenização em 20%. Ainda aberto o prazo para interposição do recurso especial contra a decisão local, a Globo foi "surpreendida" com a execução provisória iniciada por carta de sentença. Os filhos do jogador, autores da ação, pretendiam o recebimento imediato do valor de R$ 4,79 milhões definidos no acórdão pendente de recurso.

Para a TV Globo, o processamento da execução provisória lhe causaria lesão grave e de difícil reparação, o que autorizaria a concessão da cautelar mesmo sem a oitiva da parte contrária. Isso porque, afirmou a emissora, a execução deve se processar da forma menos gravosa para o executado. E porque, sustentou ainda, não haveria razão para manter o depósito em dinheiro, já que os autores – beneficiários da Justiça gratuita – não poderiam levantar os valores ante à falta da caução idônea necessária.

O ministro Edson Vidigal decidiu conceder a medida cautelar ante a excepcionalidade do caso. Conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), é possível a concessão de medida cautelar destinada a antecipar tutela recursal ou atribuir efeito suspensivo a recurso especial ainda não interposto ou admitido pelo tribunal de origem, caso haja risco de comprometimento do valor jurídico prevalecente. O presidente do STJ considerou presentes tanto a plausibilidade do direito invocado pela TV Globo quanto o risco na demora em decidir a autorizar a suspensão da decisão local.

"O Código de Processo Civil, em seu artigo 620, estabelece que, quando por vários meios o credor puder promover a execução, o juiz mandará que se faça pelo modo menos gravoso para o devedor. Toda execução deve, portanto, realizar-se para satisfazer o direito do credor, trazendo o menor gravame possível ao devedor", explicou o ministro. "Nesse contexto", completou, "forçoso reconhecer a necessidade de, no caso concreto, permitir-se ao devedor a oferta de bem imóvel, ao invés de depósito em dinheiro, para garantir o juízo da execução."

O presidente afirmou não ser razoável obrigar o devedor a desfazer-se de vultosa quantia em dinheiro que sequer poderá ser levantada pelo credor, pois beneficiários de Justiça gratuita e certamente incapazes de prestar a caução exigida para a retirada dos valores. O ministro Edson Vidigal destacou o sólido patrimônio da empresa, que não permitiria antever risco aos credores de, ao fim do processo, terem frustrado seu eventual direito. O mandado de execução determinando o depósito dos valores em 24 horas também autorizou, alternativamente, a nomeação de bens para penhora, para garantia da execução.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)