Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

09/07/2016 10:06

Giroto e Amorim são soltos após prisão “relâmpago" da Lama Asfáltica

Aline dos Santos, Campo Grande News

Alvos da terceira fase da operação Lama Asfáltica, o empresário João Amorim e o ex-secretário estadual de Obras, Edson Giroto, já estão em liberdade. Conforme o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário ), Ailton Stropa, o empresário deixou o Centro de Triagem de Campo Grande, no Jardim Noroeste, à 1h25 deste sábado (dia 9). Já Giroto deixou o local às 2h30.

Cunhado de Giroto, o empresário Flávio Henrique Garcia Scrocchio deve ser liberado na manhã de hoje. Conforme Stropa, ele precisa entregar o passaporte. Giroto e Flávio foram presos pela PF (Polícia Federal) na quinta-feira (dia 7). Amorim estava fora do Estado e só se entregou na manhã de ontem.

Contudo, a estadia no presídio foi curta. O alvará de soltura de Amorim foi concedido pelo desembargador do TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), Maurício Kato, por volta das 19h. 

A medida foi estendida para os outros dois presos. Os três já haviam sido colegas de cela na segunda fase da operação, quando ficaram mais de 40 dias atrás das grades.

Aviões – Na nova etapa da investigação, foi apontada dilapidação de patrimônio. Ou seja, avião, que segundo a polícia foi obtido com recurso irregular, no valor de quase R$ 2 milhões, acabou vendido.

O avião Cheyenne pertencia à empresa ASE Participações, que tem Amorim como sócio. Inicialmente, o mandado de busca e apreensão foi endereçado para Cuiabá (MT), mas acabou cumprido em Maringá (PR).

A transação envolveu uma aeronave de R$ 350 mil e quatro cheques, que totalizam R$ 550 mil: uma lâmina de R$ 250 mil e outras três com montante de R$ 100 mil. O restante do valor ainda seria pago.

Conforme a PF, o recurso de reintroduzir dinheiro, que teria origem ilegal, no mercado formal é uma estratégia de lavagem de dinheiro. O fracionamento do patrimônio dificulta o rastreamento do dinheiro.

Porém, a Justiça Federal entendeu que nada impedia que Amorim vendesse o avião de R$ 2 milhões, já que ele, ao contrário de outros bens, não foi bloqueado em ações anteriores. 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)