Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

21/07/2015 08:00

Gerente que transportava valores deve ser indenizado pelo Bradesco

TRT 10ª Região

A Justiça do Trabalho garantiu indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil a um gerente administrativo do Banco Bradesco S/A que era obrigado a transportar, a pé, de um correspondente bancário até a agência, valores que chegavam a R$ 40 mil. Ao obrigar o funcionário a realizar essa atividade, o banco violou a legislação que rege a matéria, frisou o juiz Francisco Luciano de Azevedo Frota, titular da 3ª Vara do Trabalho de Brasília.

Na reclamação trabalhista, o gerente contou que frequentemente realizava o transporte de valores do correspondente bancário para a agência, chegando a portar, em média, R$ 40 mil em espécie, “expondo-se a risco de assalto”. Com esse argumento, requereu o pagamento do adicional de risco garantido aos vigilantes e, ainda, indenização por danos morais em razão da tensão emocional a que se submetia por ser obrigado a transportar valores sem a segurança adequada.

Testemunhas

Testemunhas ouvidas em juízo confirmaram que o empregado realizava a função, frisou o magistrado em sua decisão. Para o juiz, os depoimentos comprovam que o autor da reclamação fazia, ainda que uma vez por semana, o transporte de numerários, às vezes acompanhado e outras vezes sozinho. “Não sendo o autor um profissional da área de segurança, mas sim o gerente administrativo de um banco, não há dúvida de que o transporte de numerário, sobretudo quando desacompanhado, trazia-lhe sentimentos de angústia, apreensão e medo”.

A Lei 7.102/1983, que dispõe sobre segurança para estabelecimentos financeiros, revelou o juiz, prevê que o transporte de valores deve ser realizado por empresa especializada ou “pelo próprio estabelecimento financeiro, desde que organizado e preparado para tal fim, com pessoal próprio, aprovado em curso de formação de vigilante autorizado pelo Ministério da Justiça e cujo sistema de segurança tenha parecer favorável à sua aprovação, emitido pelo Ministério da Justiça”. No caso presente, o banco violou a legislação que rege a matéria, ao impor ao gerente administrativo a obrigação de transportar valores sem o preparo necessário para essa atribuição, argumentou o magistrado.

“Assim configurado o ato ilícito e evidenciado o constrangimento emocional sofrido pelo empregado, tem-se como devida uma indenização por danos morais, nos termos dos artigos 186 e 927 do Código Civil Brasileiro”, disse o juiz, que fixou o montante indenizatório em R$ 10 mil.

Processo nº 0001568-87.2013.5.10.003

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)