Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

09/04/2016 15:30

Gatos têm grande propensão a desenvolver doenças renais

Saúde Plena

 

Os humanos não são os únicos a ter problemas renais. Felinos são extremamente suscetíveis a esse mal. Para se ter uma ideia, 60% deles terão ao longo da vida algum tipo de disfunção nos rins, segundo dados da Elanco, divisão de saúde animal da indústria farmacêutica norte-americana Eli Lilli.

Originalmente, gatos são animais do deserto; portanto, têm o organismo adaptado para viver em ambientes com escassez de água. Para economizá-la, seus rins tentam expelir o máximo de toxinas no mínimo de líquido. A urina deles é mais concentrada que a nossa — tem muito mais ureia e creatinina, por exemplo.

Os problemas renais dos felinos podem ser de nascença ou por degeneração, ao longo do tempo. Segundo a veterinária Bruna Tadini, é crucial, portanto, fazer exames quando o gato nasce. Quando adulto, até cerca de 10 anos, os checapes devem ser anuais e, depois disso, semestrais. “Os problemas renais podem acontecer precocemente, com 3 ou 4 anos, mas é mais comum com o avanço da idade”, ela tranquiliza.

Não há como evitar a propensão, mas algumas medidas podem atrasar o aparecimento da doença e desacelerar a evolução dela. É importante que o animal coma ração com proteína de boa qualidade e seja incentivado a tomar muita água. “Existem até rações específicas para gatos com doenças renais”, complementa Bruna.

A advogada Gabriela Ramos Monteiro, 41 anos, já vivenciou duas experiências tristes com seus gatos. Ambos haviam sido adotados: Pikachu, em 1999, e Pretinho, no ano seguinte. Pikachu tinha muitos cálculos renais. Foram feitos diversos procedimentos para melhorar a saúde dele. No fim, acabou morrendo de insuficiência renal, aos 14 anos. Já o aparecimento da doença no Pretinho foi repentino, em dezembro de 2014, e, em três meses, já quase aos 5 anos, foi eutanasiado. “É muito ruim ver o animal definhar na sua frente: ele não quer comer e não é só por charme; ele fica sujo, e gato gostar de estar limpo; ele perde muito peso, muita massa muscular. Quando levei o Pretinho para a eutanásia, ele era uma geleia”, lamenta Gabriela.

Um dos primeiros sinais que Pikachu deu de que havia algo errado foi urinar fora da caixa. A gatinha estava com cistite e sentia dor. Na primeira vez que ela teve a cistite, o veterinário tratou apenas o problema e não investigou a causa. Depois, foi descoberto que um dos rins dela estava comprometido. Foram feitas três litotripsias (operação que consiste em despedaçar cálculos na bexiga), as quais foram essenciais para que ela engordasse e ficasse forte para aguentar o procedimento que seria feito depois de alguns meses.

A dieta de Pikachu precisava ser especial. Gabriela testou todas as rações específicas para animais com problemas renais, mas nenhuma agradou a gata. A dona precisou cozinhar para ela. O sangue dos animais com rins doentes fica intoxicado, o que faz com que tenham enjoos crônicos. Gabriela conta que, diante dessa situação, acabava dando ao animal de estimação aquilo que ele queria comer.

O tratamento de Pikachu e de Pretinho também incluía a chamada fluidoterapia. Ela é um ponto-chave no tratamento. O objetivo é repor a hidratação, equilíbrio de eletrólitos e diminuir a concentração de substâncias nocivas no organismo. O soro pode ser aplicado em casa e Gabriela assim o fazia. Em Pikachu, que estava melhor, o procedimento era feito em dias alternados. Em Pretinho, todos os dias.

É importante descobrir a doença o quanto antes. “Um gato com problema renal, normalmente, só apresenta sintomas quando 75% dos rins já estão sem funcionar”, alerta o veterinário Luciano Henrique Giovaninni. O diagnóstico precoce diminui as chances de evolução da doença e garante qualidade de vida para a mascote por mais tempo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)