Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

09/02/2007 15:15

Garçom condenado a 16 anos e 3 meses

TJ/GO

O garçom Daniel Tomé de Oliveira, de 27 anos, foi condenado na quarta-feira (07) pelo 1º Tribunal do Júri de Goiânia a 16 anos e 3 meses de reclusão, por homicídio e ocultação de cadáver da balconista Lucélia Pereira Gomes, cuja sessão foi presidida pela juíza Carmecy Rosa Maria de Oliveira. A pena será cumprida na Penitenciária Odenir Guimarães, antigo Cepaigo, em regime integralmente fechado.

A condenação de Daniel foi fixada após o somatório das penas dos dois crimes de sua responsabilidade. A juíza levou em consideração as condições financeiras do réu para permitir o pagamento de multa, fixada em 50 dias-multa, por ter ocorrido ocultação de cadáver.

Ao fazer a sustentação, o Ministério Público (MP) se bateu pela condenação do garçom, enquanto a defesa sustentou a tese de negativa de autoria. O Conselho de Sentença rejeitou a tese absolutória e acolheu as circunstâncias qualificadoras de motivo torpe, emprego de meio cruel, crime cometido com dissimulação (pois o acusado combinou de entregar dinheiro e um aparelho eletrônico), recurso que impossibilitou defesa da vítima, concluindo pela ocultação do cadáver da vítima. Os jurados excluíram a possibilidade de atenuar a pena.

Crime

Segundo a denúncia, o crime aconteceu em 25 de abril de 2005, por volta das 6 horas, em lote baldio, na Rua 237, no Setor Coimbra. O acusado, utilizando um pedaço de ferro, desferiu golpes contra Lucélia, matando-a e escondendo o corpo.

Lucélia veio com Daniel e sua companheira Raquel Ribeiro de Lima, de Goianira (GO) para Goiânia para trabalhar e moravam juntos em um barracão no Setor Gentil Meirelles. A vítima começou a trabalhar em uma lanchonete, na praça Benedito Silva Lobo, no Setor Coimbra, como balconista das 16 a 00 hora, ela pernoitava no local e voltava de manhã para casa. Depois Raquel conseguiu emprego de garçonete na lanchonete.

Tempo depois, Daniel separou-se de Raquel e voltou para Goianira. Ao saber que sua ex-companheira estava tendo encontros com outros homens, presumiu que Lucélia a estava ajudando e decidiu elimina-lá. Na madrugada antes do fato, Daniel estava em uma festa em Goianira e contratou um motoboy para vir a Goiânia. Em seguida, fretou mais dois motoboys para não deixar suspeita ao chegar às proximidades da lanchonete.

Por volta das 6 horas ele ligou no celular de Lucélia de um telefone público, combinando para lhe entregar 300 reais e um DVD, destinado a Raquel. Ela saiu da lanchonete e se encontrou com Daniel que a atraiu para um terreno baldio dizendo que o DVD estava em um saco de lixo. Nesse momento Daniel segurou a vítima com uma mão e com a outra, usando um pedaço de cano de ferro, golpeou-a cabeça fazendo-a cair no chão e depois deu outros golpes. Ele arrastou o corpo de Lucélia para dentro do mato e colocou entulhos em cima.

Para não deixar impressões digitais no cano Daniel usou as meias nas mãos, como luvas e se preocupou em desfazer dos objetos pessoais de Lucélia jogando-os em diferentes bueiros longe do local. O corpo da vítima foi encontrado cinco dias depois, em avançado estado de decomposição. Depois do crime, Daniel e Raquel voltaram a morar juntos e após ter sido encontrado o corpo, Raquel prestou depoimento e está desaparecida. Segundo Daniel, ela foi para Europa com outro homem. (Izabela Cunha)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Agosto de 2017
Domingo, 20 de Agosto de 2017
10:00
Receita do dia
09:50
Três Lagoas
Sábado, 19 de Agosto de 2017
20:38
Para o fim de semana
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)