Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

02/09/2014 14:58

Funcionários de hospital falam sobre morte de Samila após injeção

Campo Grande News

Serão ouvidos hoje (2) pela polícia os funcionários da Santa Casa de Cassilândia, a 418 quilômetros da Capital, onde a menina de cinco anos, Samilla Barbosa de Oliveira, morreu há 10 dias, após receber uma injeção de antibiótico.

Veja Mais
› Seguradora vai pagar reparo na ponte do Rio Paraguai atingida por barco
› Rapaz é preso com 780 kg de maconha na MS-164

O delegado responsável pelo caso, Alexandro Mendes de Araújo, colherá depoimentos de 22 funcionários, entre recepcionistas, auxiliares e técnicos de enfermagem, que estavam no hospital nos dias 22 e 23 de agosto, os dias que a menina deu entrada e faleceu, respectivamente.

O laudo para esclarecer o que motivou a morte da menina tem prazo para ser entregue até amanhã (3), mas segundo o delegado, o perito já sinalizou que pedirá prorrogação. “O perito disse que precisa de mais tempo, porque os exames são complexos e envolvem análise macro e microscópicas”, explicou Alexandro.

O delegado disse ainda que entrará em contato com o perito para fazer mais questionamentos sobre o caso.
Quanto ao depoimento da família, Alexandro contou que conversou com a mãe da menina, Alessandra Barbosa da Silva, 35 anos, ontem, mas de maneira informal, sem colher depoimentos. “Falei com ela, mas é uma situação difícil, porque ela ainda está muito abalada com a morte da filha”, disse.

Suspeita – O delegado disse que não descarta a hipótese de que criança tenha morrido por asfixia, como foi levando pela família, mas destacou que somente será afirmado algo em relação as causas após o laudo da perícia.

A família de Samilla pede que alguém seja responsabilizado e punido pela morte da menina. “Quero justiça, porque foi erro médico e faltava profissional para reverter a situação, então eles erraram duas vezes”, reclamou. “Eles ligaram (o hospital) e chegou um médico de bermuda para atender ela, porque o médico pediatra que prescreveu a medicação não estava lá”, disse a mãe.

Segundo a mãe, a menina deu entrada no hospital na noite de sexta-feira (22) com irritação da garganta e dores abdominais e morreu na manhã oo dia seguinte, quando já estava preparando a menina para receber alta médica. Ela relatou ao Campo Grande News, que a filha já estava bem, havia dormido e se alimentado, quando mudou o plantonista e o segundo médico disse que ela ficaria, pelo menos, mais três dias internada. Nesse tempo em que esperava um termo para assinar se responsabilizando pelas consequências em deixar o hospital, segundo a mãe, uma enfermeira aplicou uma injeção em Samilla, que deu um grito forte e morreu minutos depois.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)