Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

01/02/2004 15:07

Frango brasileiro tem sinal verde na Europa

Mapa Imprensa

A campanha de vacinação contra a febre aftosa atingiu entre 90% e 98% das 183 milhões de cabeças do rebanho bovino brasileiro em 2003. Nos 14 estados reconhecidos como livres da doença, a imunização chegou a 94,9%, segundo dados do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

As ações de defesa sanitária desenvolvidas pelo MAPA permitirão o reconhecimento, até maio deste ano, de 92% do atual rebanho como livres da doença com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Até 2005, todo o rebanho brasileiro será reconhecido como livre de aftosa. O certificado da OIE funciona como uma espécie de passaporte para a abertura de novos mercados para a carne brasileira no exterior.

Desde 18 de julho de 2001, o Brasil não registra a ocorrência de febre aftosa. Mesmo nas regiões Norte e Nordeste, ainda consideradas de risco para a doença. O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do MAPA, Rui Vargas, diz que a recente declaração dos rebanhos do Acre e de 43 municípios do sul do Pará como livres da doença auxiliará no aumento das exportações em 2004. “Isso nos deixa numa posição privilegiada de sanidade e qualidade em relação ao cenário internacional”, diz, referindo-se ao recente caso do mal da “vaca louca” surgido nos Estados Unidos. “Tivemos um desempenho bom em 2003 nas exportações de carne: aumentamos nossas vendas em 30%”. Nos últimos dois anos, o consumo interno passou de 29 para 34 kg por habitante. “No mundo, isso cresce a taxas entre 5% e 6% ao ano”.

Frango - Na última quarta-feira (28/01), o Comitê Veterinário da União Européia, reduziu as inspeções sobre a carne de frango brasileira para identificação de resíduos de nitrofuranos – um grupo de antimicrobianos proibidos no bloco e no Brasil. A partir de 20 de fevereiro, apenas 20% das cargas serão testadas nos portos europeus. Antes, 100% passavam pela avaliação. “Isso reduz significativamente os custos para os exportadores brasileiros”, afirma. A inspeção submete as cargas a um teste que demora 14 dias e custa US$ 300.

Vargas estimou ainda que as exportações de frango também devem aumentar, neste ano, devido à disseminação de um vírus altamente patogênico da influenza aviária na Ásia, a chamada “gripe do frango”. “Em 2003, exportamos 20% da produção. Com a crise na Ásia, devemos bater em 30% neste ano, já que somos candidatos naturais a suprir a demanda atendida até então pela Tailândia, um grande produtor mundial atingido pela gripe”, prevê.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)