Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Julho de 2017

Últimas Notícias

13/07/2017 14:30

França: transplante de fezes cura pacientes com bactéria resistente

EPharma News

Um tratamento desenvolvido na França para combater a bactéria Clostridium difficile, que provoca fortes diarreias e dores de barriga, deverá ser usado no futuro para tratar outras doenças digestivasgraves. Trata-se do transplante de fezes, método que promete revolucionar a vida de muitos pacientes.

A Agência Nacional de Medicamentos francesa reconheceu a prática em 2013, utilizada em cerca de 30 hospitais do país. O princípio é simples e consiste em recolher amostras dos cerca de 100 bilhões de microrganismos que compõem a flora intestinal de indivíduos saudáveis e introduzi-los no tubo digestivo dos doentes. A taxa de cura é de 90% para os portadores da bactéria Clostridium.

"Na prática, usamos as fezes de um doador, que será selecionado. Essa é a etapa mais complicada: achar o bom doador. Vai depender de sua história, seus antecedentes, dos remédios que toma. Depois faremos vários exames, para procurar agentes infecciosos no sangue e nas fezes", explica o gastroenterologista francês Harry Sokol, criador em 2014 do GFTF (Grupo Francês do Transplante de Fezes).

Em seguida, as fezes são misturadas com soro fisiológico e os resíduos são filtrados. A preparação pode ser usada imediatamente ou congelada a uma temperatura de - 80°.

O transplante é feito durante uma coloscopia ou através de uma sonda que vai até o duodeno e deposita a substância. Na maior parte do tempo, uma hospitalização é necessária, mas o objetivo é que o ato possa em breve ser ambulatorial. O método, afirma o especialista francês, não assusta e nem intriga os pacientes. "Pelo contrário, eles são os primeiros a falar sobre o procedimento e a solicitarem o tratamento", diz Sokol.

SÍNDROME DE CROHN

A novidade agora é que as pesquisas indicam que esse mesmo remédio poderá em princípio ser usado para tratar patologias como a doença de Crohn, processo inflamatório grave que provoca a necrose de partes do intestino e atinge principalmente jovens. O estudo está em um estágio avançado e os pacientes que vão testar o método já foram selecionados.

"Teremos os primeiros resultados dos estudos no fim do ano. Mas, infelizmente, embora as pesquisas mostrem um resultado positivo no caso da doença de Crohn, para que o tratamento seja validado e possa ser usado no cotidiano precisamos de tempo", explica o gastroenterologista.

Além dessa doença, outros 155 estudos em torno da flora intestinal estão sendo feitos no mundo envolvendo outras doenças, como diabetes, obesidade, síndrome do intestino irritável e efeitos da quimioterapia no intestino ou patologias autoimunes. Isso porque a composição da flora intestinal orienta a resposta do sistema imunológico. Sem contar a influência desse órgão misterioso no cérebro.

"Sabemos, há muito tempo, que existem fortes conexões entre o cérebro e o intestino, que um influencia o outro e vice-versa. Hoje os dados nos levam a crer que a flora intestinal tem um papel no desenvolvimento de doenças neuropsiquiátricas, como o autismo, o mal de Parkinson, talvez o mal de Alzheimer, depressão e provavelmente outras patologias", diz o gastroenterologista francês.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 26 de Julho de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 25 de Julho de 2017
10:00
Receita do dia
06:34
Cassilândia
Segunda, 24 de Julho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)