Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

07/09/2013 06:17

Fiscais federais agropecuários decidem na próxima semana se entram em greve

Agência Brasil

Um grupo de 30 fiscais federais agropecuários promoveram ontem (6) ato, em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), para pedir mais recursos para as atividades, o fim das indicações políticas para os cargos técnicos e concurso público para contratação imediata de mais funcionários. Durante o protesto, os fiscais distribuíram laranjas à população. Na próxima semana, a categoria deve decidir, em assembleia, se entrará em greve.

Foi a segunda manifestação da categoria. No último dia 29, os fiscais distribuíram bananas na Praça Osvaldo Cruz.

Os profissionais – das áreas de agronomia, veterinária, química, bioquímica e zootecnia – são responsáveis pela fiscalização de todos os produtos que entram e saem do país pelos portos, aeroportos e pela inspeção de produtos nas indústrias e frigoríficos, sementes e mudas.

“Isso tudo está sendo relegado ao segundo plano porque nós não temos recursos. O contingenciamento feito pelo Ministério da Agricultura cerceou as fiscalizações. Estamos aguardando a liberação para fazer as fiscalizações que já estão previstas no ano”, disse o delegado sindical de São Paulo, Ulysses Thuller, do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários.

De acordo com Thuller, há mais de sete anos não são feitos concursos, e nesse período, pelo menos 700 funcionários se aposentaram, sem reposição. No Brasil, calcula-se a atuação de 3.500 fiscais, e no estado de São Paulo, 500. “Isso acarreta um prejuízo para a população que é consumidora dos produtos que não são fiscalizados. Nossas diárias também são reduzidas e assim não temos condições de nos deslocar para fazer o nosso trabalho. A fiscalização está muito restrita, aquém do que deveria estar ocorrendo”.

Thuller destacou ainda que alguns funcionários concursados demonstraram intenção de colocar o cargo à disposição por discordar da conduta do ministério. “Muitos de nós, mais novos na função, vamos passar mais 25 anos no ministério, então temos que zelar pelo trabalho feito e pela saúde e pela segurança alimentar do que vai na mesa do brasileiro”.

Segundo Thuller, a categoria já teve três audiências com o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, mas sem acordo. O ministério informou, por meio da assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre os protestos e está em negociação com a categoria.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)