Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

08/03/2004 16:50

Filhos: o problema é cuidar deles, da casa e trabalhar

Deigma Turazi e Gilberto Evangelista/ABr

Maria das Dores dos Santos Conceição, a Vó Maria, nasceu em 1911. Aos 92 anos de vida, está lançando seu primeiro CD, com pérolas do samba. Ela é viúva do compositor Ernesto dos Santos, o Donga, que compôs o famoso samba “Pelo Telefone”, o primeiro a ser gravado em disco. Donga, seu terceiro marido, não a estimulava a seguir na carreira de cantora e pedia que não cantasse nas rodas de samba que promoviam em sua casa, quando ali estavam lendas da música brasileira como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Clara Nunes e João Nogueira.

Apesar de ser dona de uma voz elogiada por muitos, Maria acabou indo trabalhar como dietista e tarefeira de uma fábrica de rendas. Vó Maria trabalhou para sustentar a filha do primeiro casamento, do qual saiu viúva depois de dois anos. Sua segunda união foi com o jornalista João Conceição, um dos pioneiros do Movimento Negro no Brasil. Depois de 15 anos, a união se desfez. João disse que um dos dois era demais em casa. A resposta que deu, ela conta com expressão de orgulho: “A porta da rua é a serventia da casa”.

A história de Vó Maria, com seus casamentos, separações e uma vida de trabalho duro, condensa algumas das experiências vividas pelos 61,5 milhões de brasileiras. O estudo da Fundação Perseu Abramo, realizado em 2001 com 2.502 mulheres de todo o país, as pesquisadas apontam como principal dificuldade da mulher atual o excesso de responsabilidades, atribuídas principalmente à dupla jornada de trabalho, o doméstico e o remunerado. Lembrados por 11% estão as discriminações no mercado de trabalho, tanto de funções como de salários (7% do total, 10% entre as que acham que a situação da mulher está pior), o preconceito social que reserva às mulheres discriminações e um lugar inferior em relação aos homens (5% e 7%, respectivamente) e maior exposição à violência (2% e 4%).

Entre as melhores coisas de ser mulher está a possibilidade de gerar filhos (55%). Em contrapartida, elas classificam como as piores conseqüências de ser mulher hoje a discriminação social (17%), os aspectos relacionados a maternidade, casamento e marido (15%), discriminação no mercado de trabalho (15%), questões de saúde (14%) e a violência contra a mulher (11%).

“O trabalho doméstico acarreta para a mulher, no mínimo, uma dupla jornada. As mulheres que trabalham fora chegam em casa e têm trabalho doméstico a desenvolver. Isso é aceito socialmente. Agora, é um trabalho explorado, é um trabalho não pago. Os homens não têm o tamanho da responsabilidade social da mulher”, diz a coordenadora da pesquisa, destacando que 96% das mulheres entrevistadas são responsáveis por todos os afazeres domésticos - limpar, passar, cozinhar, cuidar dos filhos entre outras atribuições.

“O trabalho doméstico dificulta, quando não inviabiliza um maior avanço da mulher. É praticamente impossível uma pessoa que tem uma dupla jornada desse tamanho conseguir ter acesso, além do mercado de trabalho, a outros ideais profissionais, como vida política. É necessário haver mudanças radicais na sociedade, para acabar de vez com a divisão sexual do trabalho”, defende a socióloga da Fundação Perseu Abramo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)