Cassilândia, Domingo, 24 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

12/02/2015 13:15

Fetems aceita acordo com governo e descarta greve no Estado

Campo Grande News

A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) descartou greve ao aceitar, nesta quinta-feira (12), proposta do Governo do Estado para integralização do piso nacional de 20 horas até 2018. O reajuste anual de 13,01%, no entanto, será pago de forma retroativa a janeiro já no próximo mês.

Dos 356 delegados da entidade, que se reuniram em assembleia geral, houve apenas seis abstenções e quatro votos contrários a proposta do governo. A categoria, composta por 10,5 mil professores, busca reajuste total de 25,42%.

Edna Soares, delegada de Sonora, ressaltou que “uma greve iria desgastar o relacionamento com o governo que está dando abertura para negociar”. Já Onildo Lopes, que representou os profissionais de Dourados, pontuou que a luta pelo piso salarial de 20 horas dura quatro décadas e os avanços são resultantes da “pressão das ruas e não de negociação”.

Para o presidente da entidade, Roberto Botarelli, o acordo possibilita cumprimento da Lei Estadual nº 4.464/13, que prevê redução de jornada dos professores de 40 para 20 horas, além de mais transparência ao se ter acesso as receitas e despesas do Estado com a educação. Nesse sentido, haveria ainda maior controle sobre as 3 mil convocações irregulares, quando um professor é contratado e cedido para outras funções.

A categoria também definiu comissão para debater, até 15 de maio, novo reajuste de 10,98% para integralização do piso nacional para 20 horas. O grupo será composto por Jaime Teixeira, Professora Suely, Ronaldo Franco e Amarildo do Prado, além do presidente da Fetems.

Reajustes – Após quatro reuniões com a entidade, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) formalizou documento assegurando o reajuste de 13,01%, que será pago aos servidores com data retroativa em março. Foi incluído nesse documento a questão da carga horária da hora atividade de 40h/semanais para 20h/semanais.

O governo também deixou claro a premissa de pagar o restante do reajuste, 10,98%, que falta para atingir a meta dos 25,42%, conforme a Lei n° 4.464, integralizando o piso de 20 horas semanais até 2018. Ainda neste último encontro foi estabelecido que uma comissão será instituída para definir até maio como os 10,98% restantes serão pagos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 24 de Setembro de 2017
18:01
Município suspende aulas
11:00
Mundo fitness
10:00
Receita do dia
Sábado, 23 de Setembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)