Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/02/2015 13:15

Fetems aceita acordo com governo e descarta greve no Estado

Campo Grande News

A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) descartou greve ao aceitar, nesta quinta-feira (12), proposta do Governo do Estado para integralização do piso nacional de 20 horas até 2018. O reajuste anual de 13,01%, no entanto, será pago de forma retroativa a janeiro já no próximo mês.

Dos 356 delegados da entidade, que se reuniram em assembleia geral, houve apenas seis abstenções e quatro votos contrários a proposta do governo. A categoria, composta por 10,5 mil professores, busca reajuste total de 25,42%.

Edna Soares, delegada de Sonora, ressaltou que “uma greve iria desgastar o relacionamento com o governo que está dando abertura para negociar”. Já Onildo Lopes, que representou os profissionais de Dourados, pontuou que a luta pelo piso salarial de 20 horas dura quatro décadas e os avanços são resultantes da “pressão das ruas e não de negociação”.

Para o presidente da entidade, Roberto Botarelli, o acordo possibilita cumprimento da Lei Estadual nº 4.464/13, que prevê redução de jornada dos professores de 40 para 20 horas, além de mais transparência ao se ter acesso as receitas e despesas do Estado com a educação. Nesse sentido, haveria ainda maior controle sobre as 3 mil convocações irregulares, quando um professor é contratado e cedido para outras funções.

A categoria também definiu comissão para debater, até 15 de maio, novo reajuste de 10,98% para integralização do piso nacional para 20 horas. O grupo será composto por Jaime Teixeira, Professora Suely, Ronaldo Franco e Amarildo do Prado, além do presidente da Fetems.

Reajustes – Após quatro reuniões com a entidade, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) formalizou documento assegurando o reajuste de 13,01%, que será pago aos servidores com data retroativa em março. Foi incluído nesse documento a questão da carga horária da hora atividade de 40h/semanais para 20h/semanais.

O governo também deixou claro a premissa de pagar o restante do reajuste, 10,98%, que falta para atingir a meta dos 25,42%, conforme a Lei n° 4.464, integralizando o piso de 20 horas semanais até 2018. Ainda neste último encontro foi estabelecido que uma comissão será instituída para definir até maio como os 10,98% restantes serão pagos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)