Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/01/2004 06:52

Ferrugem da soja foi discutida na Famasul

Adriana Molina

A Ferrugem da Soja foi discutida ontem na Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul). Entre os principais pontos abordados, a ênfase foi dada ao monitoramento e manejo da lavoura. O evento foi promovido pela Famasul em parceria com a Seprotur – Secretária de Produção e Turismo, afim de esclarecer os produtores, devido a preocupação com a expansão da doença no Estado.

Participaram com palestras o Eng° Agr° Ph.D, Fernando de Assis Paiva, da Embrapa Agropecuária Oeste, Paulino José de Melo, pesquisador da Embrapa e Fundação Chapadão e Geraldo Augusto Filho, pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste.

Para Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, engenheira agrônoma e diretora da Famasul, a preocupação de todos os produtores e autoridades com a expansão da doença no Estado é grande, visto que a soja é o principal produto da economia do Estado, representando 36% das exportações. Mato Grosso do Sul, possui hoje cerca de 1,750 milhão de hectares com soja, com uma expectativa de bater recordes de produção colhendo cerca de 5 milhões de toneladas de grãos nesta safra 2003/2004. De acordo com Tereza Cristina ainda não houve incidências severas da doença. "A estiagem que vem acontecendo nos últimos dias está impedindo o avanço do fungo da ferrugem, que necessita de umidade para se desenvolver", explicou.

Segundo o pesquisador Paulino José de Melo, a lavoura do estado está totalmente tomado pela Ferrugem Asiática e pode haver muita prejuízo se não houver um controle adequado. Paulino também explica que não há como prever as perdas em relação a quantidade, mas lembra que na safra de 2001/2002, só em Chapadão, perdeu-se em média 14% da soja plantada.

A recomendação é que se faça um monitoramento constante no controle e manejo. O mais importante é que se busque informações precisas para sua lavoura, "não se pode generalizar uma recomendação, cada região é uma situação, cada propriedade é uma situação", afirmou Paulino. As entidades pesquisadoras se colocaram a disposição para o atendimento aos produtores do Estado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)