Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

12/07/2006 07:25

Federação registrou 30 agressões contra profissionais

Érica Santana/ABr

A Comissão de Direitos Humanos da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) registrou, só no primeiro semestre deste ano, 30 casos de agressões contra jornalistas e profissionais da comunicação social.

Segundo informou a coordenadora da comissão, Carmem Lúcia Souza, a previsão é que o número de casos deste ano ultrapasse os registrados no ano passado. O relatório de 2005 sobre violência e liberdade de imprensa divulgado em março deste ano pela Fenaj registrou 67 casos de atentados à liberdade de imprensa.

“Mostramos nesse relatório que a maior parte dos casos de violência aos trabalhadores de comunicação, principalmente a jornalistas, diz respeito àqueles que estão envolvidos em investigações ou estavam trabalhando em reportagens que denunciavam casos de corrupção, nepotismo ou tráfico de drogas, o que mostra que há uma tentativa de calar os jornalistas no Brasil”, diz.

De acordo com Carmem Lúcia, a maior parte desses 67 casos são de agressão física e verbal. Em segundo lugar estão os casos de assédio judicial, onde se tenta impedir a veiculação da informação por meios jurídicos. A coordenadora da comissão diz que a maioria deles se trata de censura prévia.

Dados da Comissão Interamericana de Direitos Humanos divulgados na semana passada apontam que, no Brasil, durante os meses de abril a junho, foram registrados dois de agressões, um de assassinato e dois de processos judiciais e administrativos.

Segundo o relatório, no dia 28 de abril, o jornalista Ayrton Ferreira Précoma foi assassinado por desconhecidos em Curitiba, e no dia 18 de maio, três homens armados atacaram vários empregados do jornal “Tribuna Livre” de São Paulo e ordenaram que eles parassem de publicar noticias relacionadas à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Carmem Lúcia acredita que a denúncia é o principal instrumento no combate à violência contra jornalistas e comunicadores sociais. Para ela, “também deve haver o engajamento da categoria, dos sindicatos e também uma troca de experiência e interação maior com entidades de direitos humanos”. Só assim, diz, os comunicadores terão “força para mostrar ao poder público que essa é uma situação grave no país – em tese, democrático – em que vivemos”.

Atualmente, o Brasil ocupa a 63ª posição na Classificação Mundial de Liberdade de Imprensa no ranking da organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras, três lugares acima da posição que ocupava em 2004. Desde que a classificação foi criada, a posição brasileira tem variado. A de 2002, primeiro ano do balanço, o Brasil chegou ao 54º lugar. Já em 2003, caiu para a 71ª colocação.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)