Cassilândia, Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018

Últimas Notícias

22/01/2018 15:31

Febre amarela foi descartada como causa da morte de 5 macacos, diz secretaria

Redação

De julho de 2017 até agora, cinco mortes de macacos resultaram em investigação sobre a circulação do vírus da febre amarela em Mato Grosso do Sul. O dado consta no último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde divulgado no dia 14 deste mês.

No documento, os cinco óbitos aparecem na coluna de casos em investigação – no Brasil, são 747.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) informa, contudo, que a causa das mortes não foi febre amarela, descarte já feito por meio de exames laboratoriais.

A SES deixou claro que ainda não trata do caso registrado na fazenda na divisa entre Rio Brilhante e Maracaju, mas não deu mais detalhes por enquanto.

O corpo do animal achado neste fim de semana está sendo trazido para Campo Grande, de acordo com a assessoria da Prefeitura de Maracaju. Testes devem ser feitos para confirmar se foi a febre amarela que matou o primata.

Durante todo o ano de 2017, segundo a SES, seis macacos foram encontrados mortos no Estado, mas os resultados de exames foram negativos para a doença. Os primatas foram encontrados em Corumbá (2), Dourados (1), Ladário (1) e Campo Grande (2).

Não é o animal que provoca a doença, mas o mosquito que transmite o vírus para os bichos e humanos. As mortes de macacos podem apenas funcionar como indicativo da circulação do agente causador.

Casos em humanos - Dos 145 casos de febre amarela em investigação no país, três são de pessoas que podem ter sido contaminadas em Mato Grosso do Sul. O dado também consta no último boletim epidemiológico do ministério.

A secretaria esclarece que as notificações não foram feitas por Mato Grosso do Sul. Os pacientes com suspeita da doença são tratados em São Paulo e foi a secretaria de saúde do Estado vizinho que informou o ministério da apuração. Estas pessoas teriam passado pelo Estado recentemente.

A SES informou ainda, por meio da assessoria de imprensa, que sequer havia sido avisada das investigações e que pediu esclarecimento ao ministério.

Nenhum caso de febre amarela foi confirmado em Mato Grosso do Sul. Por isso, não há motivo para pânico, garante a secretaria. O último caso de febre amarela em humanos registrado em Mato Grosso do Sul foi em 2015, de um viajante que contraiu a doença em outro Estado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 19 de Fevereiro de 2018
10:00
Receita do dia
09:11
Cassilândia
Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)