Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

22/01/2018 15:31

Febre amarela foi descartada como causa da morte de 5 macacos, diz secretaria

Redação

De julho de 2017 até agora, cinco mortes de macacos resultaram em investigação sobre a circulação do vírus da febre amarela em Mato Grosso do Sul. O dado consta no último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde divulgado no dia 14 deste mês.

No documento, os cinco óbitos aparecem na coluna de casos em investigação – no Brasil, são 747.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) informa, contudo, que a causa das mortes não foi febre amarela, descarte já feito por meio de exames laboratoriais.

A SES deixou claro que ainda não trata do caso registrado na fazenda na divisa entre Rio Brilhante e Maracaju, mas não deu mais detalhes por enquanto.

O corpo do animal achado neste fim de semana está sendo trazido para Campo Grande, de acordo com a assessoria da Prefeitura de Maracaju. Testes devem ser feitos para confirmar se foi a febre amarela que matou o primata.

Durante todo o ano de 2017, segundo a SES, seis macacos foram encontrados mortos no Estado, mas os resultados de exames foram negativos para a doença. Os primatas foram encontrados em Corumbá (2), Dourados (1), Ladário (1) e Campo Grande (2).

Não é o animal que provoca a doença, mas o mosquito que transmite o vírus para os bichos e humanos. As mortes de macacos podem apenas funcionar como indicativo da circulação do agente causador.

Casos em humanos - Dos 145 casos de febre amarela em investigação no país, três são de pessoas que podem ter sido contaminadas em Mato Grosso do Sul. O dado também consta no último boletim epidemiológico do ministério.

A secretaria esclarece que as notificações não foram feitas por Mato Grosso do Sul. Os pacientes com suspeita da doença são tratados em São Paulo e foi a secretaria de saúde do Estado vizinho que informou o ministério da apuração. Estas pessoas teriam passado pelo Estado recentemente.

A SES informou ainda, por meio da assessoria de imprensa, que sequer havia sido avisada das investigações e que pediu esclarecimento ao ministério.

Nenhum caso de febre amarela foi confirmado em Mato Grosso do Sul. Por isso, não há motivo para pânico, garante a secretaria. O último caso de febre amarela em humanos registrado em Mato Grosso do Sul foi em 2015, de um viajante que contraiu a doença em outro Estado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Sábado, 19 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)