Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/01/2014 16:00

Fase de transição: que tipo de funcionário é você?

Marcos Morita

Anos de PIB magro esvaziam o bolso de qualquer um, seja pessoa física ou jurídica. Com menores receitas, as empresas são obrigadas a implantar programas de redução de custos, o que se traduz em restrições de viagens, hotéis, almoços de negócios, eventos, treinamentos, cursos de línguas e reembolso educação, assim como extensões no prazo de troca de veículos, computadores e celulares, só para citar os procedimentos mais comuns.

Outra medida adotada com frequência é o famoso facão, apelido carinhoso dado pela rádio peão às demissões em massa. Anos de casa, altos salários, baixa performance e reestruturação são as justificativas encontradas na hora do desligamento, sempre traumático para quem entrega a carteira de trabalho, devolve o crachá, esvazia a gaveta e diz adeus aos colegas, os quais apesar da comoção e dos abraços de despedida, dão graças a Deus por terem escapado.

Com cadeiras sobrando é hora de organizar as caixinhas ou o organograma da empresa, fundindo áreas, otimizando atividades, extinguindo cargos e agregando funções, cujo objetivo é tornar a empresa mais produtiva e eficiente, fazendo mais com menos. Esta etapa, também conhecida como fase de transição traz trabalho adicional, incerteza, desconforto e as chamadas áreas cinzas: atividades sem responsáveis ou processos definidos.

E como já era de esperar, cada colaborador reage de maneira diferente, seja devido a experiências passadas, tempo de casa, posição hierárquica ou momento de carreira. Para ilustrar seu comportamento recorro a conhecidas analogias do mundo animal.

O avestruz: mesmo tendo sobrevivido ao facão, alguns colaboradores adotam uma postura reativa e cautelosa, preferindo esconder-se a se envolver nos comitês e projetos que surgem em decorrência da nova configuração. A figura do avestruz com a cabeça enterrada é sua mais perfeita tradução.

O porco espinho: outros tornam-se agressivos, questionando e duvidando das mudanças que o afetarão, sem contudo apresentar os motivos ou soluções. Como o pequeno animal que o representa, prefere reagir a atacar, virando-se de costas para que seus espinhos entrem no corpo do agressor toda vez que se sente ameaçado.

O galinha: pense num omelete com bacon: para confeccioná-lo a galinha participa e o porco literalmente morre. Assim são os profissionais galinhas: cacarejam, fazem barulho, sobem no poleiro, botam ovos e ciscam ao redor das novidades, sem, contudo se aprofundar ou assumir responsabilidades.

O polvo: compra e adota as mudanças, liderando de maneira pró-ativa as iniciativas mesmo quando não há respostas a todas as perguntas. Assume riscos e atua nas áreas cinzas, coordenando avestruzes, galinhas e porcos espinhos em projetos e comitês. Como faz muita coisa ao mesmo tempo parece ter vários braços, razão da analogia com o molusco.

Assim como sugere o próprio nome, esta etapa de transição um dia terminará, da mesma maneira que o grande dilúvio. Analisando o comportamento, o engajamento e as atitudes de seus colaboradores, será tarefa fácil aos dirigentes listarem os escolhidos para entrarem na arca quando a próxima estação de chuvas vier, até porque polvo já vive dentro d'água.

Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)