Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

13/04/2005 14:27

Farmácias não podem se adaptar à venda fracionada

Irene Lôbo / ABr

Apesar de reconhecer que o fracionamento de remédios pode significar economia para o bolso do cidadão e do governo, o representante da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), Marcos Levy, afirma que o país não está preparado para copiar o modelo já utilizado com sucesso por países como os Estados Unidos, o Canadá e a França. "Hoje e em curto prazo no Brasil não há a menor possibilidade de adaptação das farmácias, nem de que a indústria se adapte para fornecer este tipo de frasco, para que o fracionamento possa ser feito, pois seria necessário mudar uma linha de produção inteira e toda a forma como as farmácias trabalham", contesta.

O representante da indústria também acredita que o fracionamento deve ser mais discutido e não pode ser visto como uma "solução mágica" para a falta de poder aquisitivo da população. Ele diz que ainda não se estudou suficientemente o mercado para garantir a qualidade do medicamento fracionado. "O benefício econômico não pode vir à custa da segurança e qualidade. Não se pode trocar uma coisa pela outra. É preciso ter o benefício financeiro, mantendo-se os outros benefícios."

Uma outra preocupação do segmento industrial é a falta de fiscalização nas farmácias, já que o fracionamento de medicamentos exige condições específicas e a presença de um profissional farmacêutico. Em comunicado enviado à Anvisa, a Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica (Febrafarma) diz que o principal prejuízo da medida é o retrocesso no controle de qualidade e procedência dos medicamentos, além dos riscos da superdosagem.

O diretor da Anvisa, Dirceu Mello, afirma que compartilha das mesmas preocupações da indústria, mas que o setor está entendendo lentamente a proposta do governo e aos poucos vai aceitar a proposição. "Teremos, sem dúvida, um período difícil para iniciar com grande força o processo e perceber as mudanças", reconhece.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)