Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/05/2012 17:58

Farc libertam jornalista francês capturado há pouco mais de um mês

Alex Rodrigues*, Agência Brasil

Brasília - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertaram esta tarde o jornalista francês Roméo Langlois. Correspondente de veículos internacionais como o canal France 24 e do jornal Le Figaro, Langlois estava em poder do grupo guerrilheiro desde o último dia 28 de maio.

Rodeado por soldados das Farc, Langlois foi entregue aos integrantes da missão humanitária coordenada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha próximo a uma aldeia de La Montañita, no estado de Caquetá, a cerca de 400 quilômetros da capital colombiana, Bogotá.

Ao ser libertado, Langlois afirmou à emissora multiestatal de televisão Telesur, único órgão de imprensa autorizado a acompanhar o resgate, que é necessário que os jornalistas continuem cobrindo o conflito entre as forças do governo colombiano e as Farc.

A Telesur ainda não divulgou o vídeo com as declarações de Langlois, mas adiantou, em seu site, que o jornalista declarou ter sido tratado com muito respeito, sem ter sido amordaçado ou amarrado, e que estava “um pouco cansado”. Ainda segundo a emissora, Langlois lamentou que governo e guerrilheiros tenham explorado politicamente seu sequestro.

Faziam parte da missão humanitária, a senadora colombiana Piedad Córdoba, o emissário do governo francês Jean-Baptiste Chauvin (indicado pelo próprio presidente, François Hollande), e funcionários da Cruz Vermelha, entre eles Jordi Raich, chefe da delegação da entidade humanitária na Colômbia.

Desde ontem (29), a imprensa colombiana atribui à senadora Piedad Córdoba a informação de que, embora Langlois more há dez anos na Colômbia, deverá viajar para a França tão logo chegue a Bogotá. Segundo a Telesur, no entanto, o jornalista deve conceder uma entrevista coletiva amanhã (31), na sede da embaixada francesa na capital colombiana.

Langlois foi capturado pela guerrilha quando acompanhava uma operação realizada pelo Exército colombiano contra o tráfico de drogas no sul do país. O sequestro do jornalista foi reivindicado pela Frente 15 das Farc, uma das alas da guerrilha. Sua captura renovou a desconfiança de setores colombianos quanto à promessa da guerrilha de abandonar o sequestro de civis.

O episódio também gerou questionamentos ao trabalho dos jornalistas. Em um vídeo gravado pelas Farc e divulgado pela Telesur na segunda-feira (28), um guerrilheiro identificado como Colacho Mendonza afirma que Langlois usava um jaleco e um capacete do Exército no momento em que militares e guerrilheiros se enfrentavam. Ferido com um tiro no braço esquerdo, o jornalista teria, segundo Mendonza, se entregado para salvar sua vida.

À BBC Brasil, especialistas disseram considerar que as Farc não haviam premeditado o sequestro do jornalista. \"Houve certa confusão pelo fato de Langlois estar com alguns trajes do Exército. Pelo Direito Internacional Humanitário, o uso de uniformes é restrito aos atores do conflito. Se um civil usa um uniforme, ele perde o status da proteção civil\", avaliou jornalista Maria Victoria Duque, diretora do Instituto de Análise Razão Pública.

Já o cientista político Victor de Currea-Lugo, da Pontifícia Universidade Javeriana, destacou que Langlois foi capturado em meio a um conflito em que, segundo fontes oficiais, quatro militares morreram e oito ficaram feridos. “As Farc não foram atrás do jornalista, mas se a guerrilha tivesse demorado mais tempo para liberá-lo, aí sim, poderíamos tratar a captura como sequestro e colocar em dúvida a decisão do grupo\", afirmou Currea-Lugo.

*Com informações da BBC Brasil // Edição: Davi Oliveira

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)