Cassilândia, Domingo, 20 de Outubro de 2019

Últimas Notícias

17/09/2019 16:30

Fapemig apoia pesquisa sobre plantas metabólicas

Governo de MG
A planta dedaleira pode ajudar nos casos de úlceras estomacais (Crédito: Sérgio Santos)A planta dedaleira pode ajudar nos casos de úlceras estomacais (Crédito: Sérgio Santos)

Pesquisadores da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram uma cartilha (CLIQUE AQUI PARA ACESSA-LA) para orientar sobre o uso de plantas medicinais da Bacia do Rio Pandeiros, em especial para o tratamento do metabolismo.

A publicação é um dos diversos desdobramentos da pesquisa “Potencial terapêutico e farmacológico de espécies de vegetais nativas do Rio Pandeiros”, estudo apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

Segundo o coordenador da pesquisa, Sérgio Henrique Santos, o Norte de Minas Gerais, principalmente da área da Bacia do Rio Pandeiros até Montes Claros, possui uma das vegetações mais ricas. Apesar disso, é uma das menos estudadas do Brasil. “Temos na região uma interseção de matas: Atlântica, Cerrado e até Caatinga. Isso, associado ao clima quente e seco da região, resulta em características únicas dessas plantas”, conta.

Com isso em mente, os pesquisadores decidiram identificar, na sabedoria popular, quais plantas eram utilizadas pela população ribeirinha. Ao longo do estudo, três espécies ficaram em foco: Sambaibinha (Davilla elliptica), Dedaleira (Lafoensia pacari) e Unha-D’anta (Acosmium dasycarpum). “O objetivo era pesquisar se as plantas de fato eram úteis e quais são as suas reais aplicações – especialmente com foco nas doenças metabólicas”, conta o coordenador.

O estudo, conduzido pelo professor Sérgio Santos, mostrou que as ervas realmente podem ajudar no tratamento de doenças, como obesidade e Síndrome Metabólica (casca da Unha d’anta), depressão (Dedaleira), úlceras estomacais (Dedaleira) e até mesmo edemas de picadas de cobras (Sambaibinha). Algumas das plantas também possuem propriedades antibacterianas, antioxidantes, anti-inflamatórias, antifúngicas, antivirais, ansiolíticas e analgésicas. Saiba quais outras enfermidades podem ser tratadas pelas plantas, e como, na cartilha produzida pela equipe neste link.

Para Santos, a publicação é importante pois permite que a comunidade faça o uso correto dessas plantas, sem prejuízos para a saúde. “Com a cartilha, conseguimos resumir, de forma clara, aquilo que já se sabe cientificamente sobre essas três plantas”, destaca.

O estudo contou com a ajuda de vários agentes, como o Instituto de Ciências Agrárias (ICA), do programa de Mestrado em Alimentos e Saúde (ICA/UFMG) e do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Montes Claros (PPGCS/Unimontes).

“Agora, podemos inovar na parte farmacêutica da população. Também conseguimos fazer com que alunos de diferentes formações ajudassem a comunidade.”, informa Sérgio Santos.

Plantas medicinais

O uso de plantas para tratar doenças e enfermidades é milenar. A prática é tão importante que, em 2006, foi instituída a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, projeto que propõe a ampliação das opções terapêuticas e melhoria da atenção à saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, a política pública busca garantir à população brasileira o acesso seguro e o uso racional de plantas medicinais e fitoterápicas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Outubro de 2019
09:00
Santo do Dia
Sábado, 19 de Outubro de 2019
17:41
Cassilândia
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Sexta, 18 de Outubro de 2019
09:00
Santo do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)