Cassilândia, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

10/03/2010 10:55

Famasul recebe comissão e cobra direito à propriedade

Campo Grande News/ Aline dos Santos

A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) cobrou o respeito ao direito de propriedade durante reunião com a equipe do CDDPH (Conselho de Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Humana), ligado à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, que veio ao Estado para verificar a situação dos indígenas.

“As propriedades rurais constituídas no Estado são legalizadas e documentadas. Estamos constantemente abertos ao diálogo, desde que respeitado o direito de propriedade e a legalidade constitucional”, afirmou o vice-presidente da Famasul, Eduardo Riedel.

Coordenado pelo vice-presidente do CDDPH, Percílio de Sousa Lima Neto, o grupo veio ao Estado conversar com lideranças indígenas e produtores rurais. “Queremos estimular o diálogo entre as partes”, ressaltou Neto.

Durante a reunião, realizada ontem, Eduardo Riedel ressaltou que há sentimento de insegurança por parte dos produtores rurais, que aguardam definições de áreas em litígio e esperam uma solução legal para os ressarcimentos. “Em Mato Grosso do Sul a titulação de terras é muito antiga. Aqui não há posseiros”, salienta Riedel.

Os produtores rurais levantaram três pontos principais sobre a questão indígena: a busca por uma solução dos conflitos pendentes, o ressarcimento de terras já desapropriadas e a atuação dos grupos de trabalho da Funai nos estudos de desapropriação. O grupo chegou na segunda-feira ao Estado e visitou reservas indígenas em Dourados.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)