Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/03/2010 10:55

Famasul recebe comissão e cobra direito à propriedade

Campo Grande News/ Aline dos Santos

A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) cobrou o respeito ao direito de propriedade durante reunião com a equipe do CDDPH (Conselho de Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Humana), ligado à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, que veio ao Estado para verificar a situação dos indígenas.

“As propriedades rurais constituídas no Estado são legalizadas e documentadas. Estamos constantemente abertos ao diálogo, desde que respeitado o direito de propriedade e a legalidade constitucional”, afirmou o vice-presidente da Famasul, Eduardo Riedel.

Coordenado pelo vice-presidente do CDDPH, Percílio de Sousa Lima Neto, o grupo veio ao Estado conversar com lideranças indígenas e produtores rurais. “Queremos estimular o diálogo entre as partes”, ressaltou Neto.

Durante a reunião, realizada ontem, Eduardo Riedel ressaltou que há sentimento de insegurança por parte dos produtores rurais, que aguardam definições de áreas em litígio e esperam uma solução legal para os ressarcimentos. “Em Mato Grosso do Sul a titulação de terras é muito antiga. Aqui não há posseiros”, salienta Riedel.

Os produtores rurais levantaram três pontos principais sobre a questão indígena: a busca por uma solução dos conflitos pendentes, o ressarcimento de terras já desapropriadas e a atuação dos grupos de trabalho da Funai nos estudos de desapropriação. O grupo chegou na segunda-feira ao Estado e visitou reservas indígenas em Dourados.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)