Cassilândia, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/03/2006 20:39

Faculdades isoladas recebem novo prazo do MEC

Milena Assis e Ana Larissa Albuquerque/ABr

O Ministério da Educação (MEC) deu prazo de 15 dias para que representantes de pequenas instituições privadas de ensino superior, reunidas na Associação Brasileira das Mantenedoras das Faculdades Isoladas e Integradas (Abrafi) apresentem novas sugestões para a discussão dos cursos a distância e da transição para os centros universitários.

"Queríamos ouvir o setor, eles apontam algumas sugestões que precisam de mais clareza e ajustes", afirmou a consultora jurídica do ministério, Maria Paula Dollori, após reunião realizada ontem (23) com integrantes da Abrafi para discutir pontos que entrarão no chamado decreto-ponte. "Este documento é um meio-termo entre a situação em que essas instituições estão hoje e a reforma universitária que ainda precisa ser votada pelo Congresso Nacional", acrescentou.

A Abrafi já entregou ao ministério uma lista de sugestões que asseguram e resgatam direitos para as faculdades isoladas e integradas. "A maior preocupação é com os centros universitários, com o processo de transição de faculdades para esses centros", segundo Dollori. Ela lembrou que o setor é bastante heterogêneo e cresceu muito nos últimos anos: "Não há no MEC nenhuma estrutura pensada para atender esses estabelecimentos, são 1,8 mil instituições com mais de 18 mil cursos, não é tarefa fácil criar regras".

Nem todas as faculdades isoladas e integradas são associadas à Abrafi, de acordo com o presidente da associação, José Janguiê Bezerra Diniz, que defendeu a volta da permissão para criar centros universitários. As novas regras para a criação desses centros poderão ser publicadas no decreto-ponte ou ainda debatidas pelo Conselho Nacional de Educação, para entrarem na reforma universitária. "As 1,6 mil faculdades associadas querem mais autonomia, porque para qualquer ação, como a criação de novos cursos, precisam passar por avaliação do ministério", acrescentou Diniz.

A Lei de Diretrizes e Bases prevê apenas a criação de faculdades e universidades. Para a concepção de centros universitários foi criada uma lei, revogada pelo decreto 4.914 de 2003, e está proibida a constituição de novos centros universitários. "Queremos derrubar isso. Os centros universitários são importantes para o processo de transição das faculdades para universidades", defendeu Diniz.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)