Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/05/2009 08:06

Exame determina dose correta de medicamento psquiátrico

Flávia Albuquerque , Agência Brasil

São Paulo - Um exame que mostra como é o comportamento de duas enzimas responsáveis pelo controle do metabolismo e a distribuição de medicamentos pelo organismo ajuda a determinar a dose certa de remédios para cada paciente. O exame, que já existe no exterior, foi elaborado no Brasil pelo Laboratório de Neurociências do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) e promete revolucionar a área, além de ser o primeiro passo para o caminho da medicina personalizada.

O diretor do laboratório, Wagner Gattaz, explicou que o indivíduo pode ter três reações ao medicamento prescrito pelo médico: que o remédio faça bem e o paciente melhore; que o medicamento não faça efeito; e que melhore, mas sofra efeitos colaterais. Segundo ele, essas diferenças são geneticamente determinadas pelas enzimas CYP2D6 e CYP2C19, mapeadas pelo exame.

“O teste funciona com uma pequena amostra de sangue, mas é complexo, com vários passos, e é um procedimento de alta tecnologia. Como esse teste é feito aqui no nosso laboratório, conseguimos fazer um teste eficaz, exato, mas a um custo inferior ao que se comercializa no exterior. Ele permite classificar as pessoas entre aquelas que metabolizam normalmente os medicamentos, aquelas que metabolizam muito rápido e aquelas que metabolizam muito devagar”.

Gattaz afirmou que com o resultado do exame é possível orientar o médico a respeito da dose necessária para cada paciente, a chamada medicina personalizada, dedicada às características de cada um. “Pessoas que metabolizam muito rápido vão precisar de uma dose maior e o contrário, aquelas que têm o metabolismo lento podem ter a dose reduzida para filtrar os efeitos colaterais, deixando apenas os efeitos terapêuticos desejáveis no tratamento”.

O médico disse ainda que o teste já está sendo oferecido aos pacientes do instituto, mas por ser caro, ainda não é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Nossa esperança é de que em breve a utilidade desse teste seja reconhecida e que o SUS passe a cobrir seus custos. Isso permitirá que a grande massa da população possa usufruir desse progresso”.

Para o diretor do Departamento de Psiquiatria da Santa Casa de São Paulo, Sérgio Tamai, a utilização do exame no Brasil é muito positiva e importante, porque em pessoas diferentes as dosagens podem variar em até quatro vezes. Ele ressaltou que esse exame tem aplicação não só na área psiquiátrica, mas em outras.

“Importa o quanto a medicação fica circulando no sangue e atinge os órgãos. Isso porque a maior parte das drogas e medicações é eliminada pelo fígado em mais de 50% e a velocidade com que esses medicamentos são metabolizados é determinada pelos genes. Além disso, podemos pensar nos efeitos colaterais. É positivo ainda nos casos de medicações nas quais o efeito terapêutico está muito próximo do efeito tóxico”, afirmou.

O diretor adjunto da Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia (Abre), José Alberto Orsi, contou que toma três medicamentos diferentes depois de sete anos tentando descobrir qual seria o melhor remédio e a dose mais adequada. “Não fiz nenhum teste até hoje e saber que existe esse tipo de teste me deixa surpreso. Eu faria esse teste, sem dúvida alguma. Apesar de ser caro, o custo que se tem de uma medicação não acertada supera muito qualquer valor de um exame”.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)