Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/06/2016 07:12

Ex-secretário de MS é preso nesta manhã pela Polícia Federal

Viviane Oliveira, Campo Grande News

O ex-ministro do Planejamento e das Comunicações, Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi preso nesta manhã (23), em nova operação da Polícia Federal, em Brasília. Gleisi e Paulo Bernardo são conhecidos em Mato Grosso do Sul, por terem ocupado cargos de secretários no governo do Zeca do PT.

O casal foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República em maio deste ano. A acusação que pesa contra eles é corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Esse esquema foi revelado por delatores da Lava Jato. Entre eles o doleiro Alberto Youssef, que em depoimento prestado em novembro do ano passado disse que Paulo Bernardo pediu esse “auxílio” para a campanha da mulher ao Senado.

De acordo com o jornal o Estadão, o inquérito policial concluiu que o casal recebeu R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobras para a campanha de Hoffmann ao Senado em 2010.

 

Segundo o G1- A operação foi batizada de "Custo Brasil" e cumpre 65 mandados judiciais em São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Distrito Federal.


Do total de mandados, 11 são de prisão preventiva, 40 de busca e apreensão e 14 de condução coercitiva, quando a pessoa é levada a prestar depoimento. 

A PF informou que o objetivo da operação é apurar o pagamento de propina referente a contratos de prestação de serviços de informática no valor de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários e agentes públicos ligados ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Assessoria contesta
A assessoria de imprensa da senadora Gleisi Hoffmann, que responde pelo casal, informou por meio de nota que as provas do inquérito demonstram que ela e o marido não receberam dinheiro
"Todas as provas que constam no inquérito comprovam que não houve solicitação, entrega ou recebimento de nenhum valor pela senadora Gleisi Hoffmann ou pelo ex-ministro Paulo Bernardo", afirma o texto da nota.
Segundo a assessoria, "são inúmeras as contradições nos depoimentos dos delatores, as quais tiram toda a credibilidade das supostas delações. Um deles apresentou, nada mais, nada menos, do que cinco versões diferentes para esses fatos, o que comprova ainda mais que eles não existiram".

Ex-ministro do Planejamento e ex-secretário de Fazenda em MS, Paulo Bernardo, foi preso hoje pela Polícia Federal. (Foto: arquivo).Ex-ministro do Planejamento e ex-secretário de Fazenda em MS, Paulo Bernardo, foi preso hoje pela Polícia Federal. (Foto: arquivo).
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)