Cassilândia, Domingo, 28 de Maio de 2017

Últimas Notícias

30/07/2009 08:17

Ex-prefeito é condenado por uso de maquinários

Diário de Cuiabá

O juiz Wagner Plaza Machado Júnior condenou o ex-prefeito do município de Ponte Branca (491 quilômetros ao sul de Cuiabá, Jurani Martins da Silva (eleito em 2000 pelo PSDB e reeleito em 2004 pelo PPS), e mais três pessoas pela prática de crime lesivo à administração pública. O ex-gestor foi sentenciado a cinco anos e seis meses de reclusão por autorizar o uso irregular de maquinário da prefeitura e ceder funcionários públicos para realizarem obras de infraestrutura no interior de uma propriedade particular. O crime de improbidade aconteceu durante a campanha de Jurani à reeleição.

Porém, as penas de reclusão foram substituídas por restritivas de direito, ou seja, aplicação de multas, cujo valor deve ser depositado nos cofres da prefeitura. Conforme destaca o magistrado, o ex-prefeito cometeu crime de responsabilidade previsto no artigo 1º do Decreto-Lei nº 21/1967, que penaliza o ato de se utilizar, indevidamente, em proveito próprio ou alheio, de bens, rendas ou serviços públicos. Também foram condenados o ex-secretário de Obras da prefeitura, Oneides Domingos da Silva, e os proprietários rurais Severino Borges da Silva e Rubens Borges da Silva.

Jurani e os demais réus também foram declarados inabilitados para exercer qualquer função pública e eletiva nos próximos cinco anos. Na decisão, o magistrado entende haver elementos suficientes para condenar os réus, com respaldo em provas robustas e nos depoimentos consistentes de testemunhas e interrogatório dos acusados.

Ainda conforme consta da denúncia, há farta documentação que comprova o emprego de três caminhões, uma pá carregadeira, uma patrol e o trabalho de cinco funcionários públicos na obra de encascalhamento de uma estrada localizada nos limites da propriedade rural pertencente a Severino Borges da Silva.

Em seu despacho, o juiz ainda repudia o envolvimento do próprio prefeito da cidade na ação criminosa. “A culpabilidade do acusado é de maior reprovação, posto que era o prefeito municipal e na sua condição tinha o dever de bem gerir os recursos e bens públicos visando o bem comum e não tutelando os serviços para uns poucos aliados. O delito deixou conseqüências vez que o dinheiro público gasto no fato foi indevidamente utilizado para beneficiar o réu e seu aliado político, ao invés de ser usado na saúde, educação e habitação da sofrida e pobre população de Ponte Branca”, argumentou o juiz Wagner Plaza na sentença. (c/ Assessoria)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 28 de Maio de 2017
Sábado, 27 de Maio de 2017
10:00
Receita do Dia
Sexta, 26 de Maio de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)