Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

13/07/2005 07:23

Ex-diretor dos Correios quase é preso no depoimento

Agência Senado

O senador Delcidio Amaral (PT-MS) afirmou que na noite desta terça-feira (12) a CPI dos Correios viveu seu momento mais tenso, desde o início dos trabalhos. Ao final do depoimento do ex-diretor de Tecnologia da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Eduardo Medeiros, uma intervenção do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) quase provocou a prisão do depoente.


Suplicy fez uma denúncia de corrupção envolvendo o ex-diretor e a empresa Gadotti Martins Carrinhos Industriais. Ao ser questionado pelo senador se conhecia Vilmar Martins, representante da metalúrgica, Medeiros negou. Minutos depois, admitiu ter falado com o empresário há três dias, o que fez com que vários parlamentares exigissem providências da direção da comissão, já que o depoente, na condição de testemunha, não poderia mentir.

O senador Suplicy disse que foi procurado por Vilmar Martins, que lhe contou que, em 1992, a Gadotti venceu uma licitação para o fornecimento de 901 carrinhos para a ECT. Quando seus funcionários foram entregar os produtos em uma delegacia regional de Belo Horizonte, o gerente do estabelecimento lhes teria informado que só receberia os carrinhos mediante o pagamento, à vista, de 20% do valor da nota fiscal em dólares. Desse total, teria informado o gerente, 10% ficariam com ele, enquanto que o restante iria para Eduardo Medeiros, que, na época, exercia o cargo de superintendente na estatal.

Vilmar teria informado ainda que os Correios devem dinheiro à Gadotti, cerca de R$ 700 mil, devido a atrasos de pagamento e correção monetária. Na referida ligação em que teria conversado com Medeiros, o ex-diretor teria oferecido a Vilmar o pagamento dessa dívida em troca do silêncio do empresário.

A CPI chegou a suspender os trabalhos por alguns minutos para debater o assunto. Ao final da discussão, o relator, Osmar Serraglio (PMDB-PR), comunicou aos presentes que o caso seria remetido ao Ministério Público.

- Fazemos juízo político, não criminal - observou ele.

Apesar da tensão, Delcidio disse acreditar que a CPI demonstrou maturidade.

- Mais uma vez, a CPI cresce em responsabilidade, equilíbrio e participação de todos os parlamentares. Poderíamos ter feito um espetáculo de pirotecnia aqui e desgastar a nossa imagem, mas avançamos muito, e tenho orgulho disso - comentou.

Confira os pontos mais importantes do depoimento de Eduardo Medeiros:

Indicação - Apesar de ter sido apontado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) como apadrinhado político do ex-secretário geral do PT, Sílvio Pereira, Medeiros afirmou reiteradas vezes que sua indicação para a diretoria de Tecnologia foi estritamente técnica. Disse não ter contato com Sílvio e afirmou ter conversado com ele uma única vez. O ex-secretário também não teria interferido na formação de sua equipe, nem teria lhe solicitado que favorecesse determinadas empresas em processos de licitação.

Licitações - Eduardo Medeiros foi questionado por parlamentares sobre a compra, sem licitação, de 500 impressoras, no ano passado. Segundo o ex-diretor, a licitação foi dispensada por se tratar de uma emergência, e a empresa fornecedora teria sido a Seal, e não a HHP, supostamente ligada ao PT, como havia informado o ex-chefe do departamento de Contratação e Administração de Materiais, Maurício Marinho, flagrado em vídeo recebendo propina. Para Medeiros, a dispensa de licitação, nesse caso, não prejudicou os Correios.

Novadata - Eduardo Medeiros negou que a empresa Novadata, do amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Mauro Dutra, tenha sido favorecida em processos de licitação na ECT. A Novadata fornece kits de equipamentos para o Banco Postal. O deputado Roberto Jefferson alegou que existiriam irregularidades nos contratos dos Correios com essa empresa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)