Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

27/02/2015 21:37

Evandro Pelarin divulga carta de despedida

Redação
Evandro Pelarin divulga carta de despedida

O juiz de Direito Evandro Pelarin publicou em seu Facebook uma carta de despedida da comarca de Fernandópolis. Foi promovido para São José do Rio Preto. Leia:

Despedida
Disse a poetisa: despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. A despedida é o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância.
No meu último dia de trabalho nesta cidade, após quase dez anos, oito da noite, fecho os olhos, respiro fundo e concluo: trabalhei aqui intensamente. Com gosto. Com prazer. Com disposição que, às vezes, eu mesmo duvidava. Acertei um pouco. Errei muito. Mas não cansei. Não desanimei. Não desisti. E aprendi demais.
Fernandópolis foi-me uma escola. Parece até estranho dizer isso. Uma cidade ensinar um juiz a trabalhar, a distribuir justiça. Mas foi o que aconteceu comigo. Cidadãos que me paravam nas ruas, nos mercados, na padaria. Que marcavam horário no Fórum para me encontrar. Todos querendo justiça.
Essa sede por algo tão sublime é instigante. Pediam mais rigor na aplicação da lei, atenção a alguns rigores desproporcionais, maior participação nos assuntos da comunidade, além da apresentação de dramas humanos, alguns, terríveis, chocantes, para que ajudássemos a resolver.
O leitor talvez possa imaginar o quanto esse cenário torna-se um aprendizado. Pois meus atendimentos ao público eram numerosos, fora os processos e as audiências normais do dia-a-dia. E as demandas, como disse, sempre foram por justiça. Nada mais, nada menos. Nenhum pedido indecoroso, imoral ou vexatório. Por isso que eu digo e repito: Fernandópolis me ensinou que um juiz deve, primeiramente, ouvir quem o procura, qualquer pessoa, indiferentemente.
Também, sou franco e direto, arrumei tempo para aqueles que me procuraram. Dei um jeito. Claro que cometi falhas, quando, por exemplo, em alguns casos me excedi ou fui impaciente, o que hoje até me arrependo. De modo geral, contudo, ouvi, anotei, respondi, decidir, encaminhei e acompanhei aquilo que não era da minha alçada, visitei lugares e entrevistei pessoas em suas casas, acamadas, enfermas, idosos e crianças com dificuldades físicas e mentais. Adultos e menores dependentes de drogas. Repito: Fernandópolis me fez ser um juiz "da rua", ou seja, ou um juiz que trabalhou muito, podemos dizer assim, fora do Fórum. E por ter contato com tantas pessoas e tantos casos, aprendi que um juiz jamais pode se escandalizar com os problemas a ele apresentados. Muito menos encará-los com preconceitos.
Porém, nada aconteceria se não houvesse o engajamento de autoridades e dos cidadãos em geral. Aqui isso sempre foi abundante. Nunca me disseram não. Ao contrário, sempre tive a companhia de autoridades, associações e cidadãos nesse trabalho "de rua". Fernandópolis me ensinou que a população que pede justiça também se alista para ajudar a fazer justiça, que é uma obra coletiva mesmo.
Chego ao final da minha jornada profissional nesta cidade com lições que marcaram minha vida. E uma delas, talvez a definitiva, é a de que a justiça é um parente muito próximo do amor. Hoje, confesso que não diferencio mais justiça e amor, que me ficaram quase que como sinônimos.
Por isso, meus queridos concidadãos fernandopolenses, eu agradeço muito a todos vocês, que me ensinaram, por meio da justiça, a amar o meu semelhante, de um jeito diferente, que foi me dedicar aos mais necessitados, aos carentes, aos que tinham um fio de esperança em suas vidas, e esse fio, muitas vezes, era a justiça. Aprendi ainda que a esperança tem em sua base o amor, pois aquele que nutre a esperança acredita que o amor virá ao seu encontro, ainda que como uma gota suave em sua dolorida ferida. E quem experimenta ou tem contato com esse tipo de amor, meus amigos, nunca mais é o mesmo.
Despeço-me, portanto, de um amor, com lágrimas nos olhos. Que o bondoso Deus devolva a esta cidade um manto sagrado de bênçãos. É o pedido que faço, diante do grande presente que aqui me deram. Um abraço no coração de cada um de vocês.
- Evandro Pelarin -

Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!Mil vezes pelo seu trabalho e pelo sua postura, é uma pena que juiz como o senhor é a minoria.
Continue assim, ão deixe que o poder da magistratura tire esses sentimentos maravilhosos que aprendeu.

Se me permite, deixo um grande abraço.

Sueli Rosa
 
Sueli Rosa em 12/07/2015 15:55:59
Caro Evandro....li e reli seu texto. Ele poderia ser usado pela magistratura para servir de manual aos magistrados iniciantes. E quanto a você, tem uma vantagem: a questão de berço. Bem nascido e criado. Parabéns e continue sem estrelismo no cargo como um simples mortal.
 
manoel afonso em 28/02/2015 07:43:39
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)