Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

26/01/2005 15:37

Estudo diz que 31 cidades de MS exploram crianças

Campo Grande News

Campo Grande está entre as 31 cidades de Mato Grosso do Sul onde existem exploração sexual de crianças e adolescentes com fins comerciais. A informação consta em levantamento divulgado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos, que identificou o problema em 937 municípios brasileiros.
O estudo considera quatro atividades como exploração sexual comercial: a prostituição, o tráfico de crianças e adolescentes, a pornografia e o turismo sexuais. A pesquisa foi realizada em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
Segundo a coordenadora do estudo, a pesquisadora da UnB Maria Lúcia Leal, o número de municípios pode ser maior, porque o mapeamento consolidou dados já existentes no país. "Pode ser muito maior", admitiu Maria Lúcia. "Nós queríamos desenvolver uma matriz para o governo começar a municipalizar o enfrentamento", afirmou a pesquisadora.
A região Centro-Oeste tem 13,6% dos casos brasileiros. O secretário dos Direitos Humanos, ministro Nilmário Miranda, disse que a meta é reduzir pela metade esses números, até 2006. O estudo não revela o número de vítimas. "O importante para nós não é falar em números, é falar o que estamos fazendo para reverter esse problema. Se forem 100 mil, é escandaloso; se forem 50 mil, 30 mil, também é escandaloso", afirmou o ministro. "A idéia de criança explorada sexualmente é intolerável", ressaltou Nilmário Miranda.
O estudo também analisou os programas e as políticas existentes no país. No governo federal, cinco ministérios desenvolvem 13 projetos que, direta ou indiretamente, enfrentam o problema. Destes, o programa Bolsa Família é o que tem maior alcance, estando presente em 91,6% dos municípios brasileiros.
Único programa especificamente voltado para a questão, o Sentinela, que atende crianças e adolescentes vítimas de abuso e de exploração sexual, está presente em apenas 33% desses municípios. O Disque Denúncia, da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), também atende apenas metade dos municípios em que o problema foi detectado pelo estudo.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)