Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

23/11/2008 12:31

Estudo avalia pela 1ª vez as cotas para negros em MS

Aline Queiroz - Campo Grande News

Estudo aponta que negros cotistas têm as mesmas condições de aprendizagem que os demais acadêmicos e defende a manutenção do sistema de cotas no País. De 2004 a 2007, foi analisado o desempenho de alunos da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), para tese de doutorado da professora Maria José de Jesus Alves Cordeiro.

Pelo trabalho, ela teve nota dez dos cinco integrantes da banca, dos quais apenas dois eram negros: Petronília Beatriz Gonçalves e Silva e Kabengele Munanga, conhecidos nacional e internacionalmente pela atuação na luta pelos direitos do negro.

De 236 negros que ingressaram na instituição em Mato Grosso do Sul pelo benefício das cotas, 20,7% conseguiram se formar. Já o percentual em relação aos índios foi de 11,9% e aos alunos gerais - grupo que inclui brancos, pardos e negros aprovados no vestibular sem o sistema - foi de 28,6%.

Maria José explica que a diferença no índice entre negros cotistas e os gerais é pequena quando se considera as dificuldades enfrentadas pelos estudantes negros, a maioria oriunda de escolas públicas e com menor poder aquisitivo e conseqüente acesso as novas tecnologias e instrumentos culturais como teatro e cinema.

Para a professora, esses fatores são decisivos no aprendizado dos alunos. Ela ressalta ainda que a maior parte dos negros cotistas trabalha durante o dia e estuda à noite e, desta maneira, tem menos tempo para se dedicar aos estudos.

Reviravolta - Na conclusão da análise, a professora destaca que “quando se compara acadêmicos do grupo geral com os resultados do vestibular, no qual nenhum candidato cotista aprovado teve rendimento acima de 60% ou 6,0 na prova de conhecimentos gerais, área na qual se concentram as maiores dificuldades de aprendizagem, pode-se afirmar que os negros e indígenas que entraram com médias abaixo de 6,0 tiveram um desempenho que refuta os discursos daqueles que argumentam contra as cotas e apostam na inferioridade intelectual desses grupos”.

Maria José revela que decidiu estudar o assunto para derrubar o argumento das pessoas que consideram os cotistas inferiores e que “entraram pela porta dos fundos” da universidade. Segundo a professora, como o desempenho durante o curso foi tecnicamente o mesmo, o estudo reforça a necessidade da manutenção do sistema de cotas porque garante maior acesso de negros e índios. “Pelo que acompanhei, observa-se que não é a nota do vestibular que determina o sucesso”, destaca.

A pesquisa reforça o discurso dos favoráveis a garantia de espaço, em um momento que o assunto volta à tona com força, após a aprovação na semana passada no Congresso da obrigatoriedade de cotas em todas as universidades federais brasileiras, com vagas asseguradas para negros, índios e estudantes comprovadamente carentes.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)