Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

05/03/2007 09:53

Estado vai pagar medicamento de aposentada

STJ

A aposentada gaúcha M.D.S.T., portadora de hepatite B crônica, teve o seu pedido de obtenção do medicamento Interferon deferido pela Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os ministros julgaram o mérito do mandado de segurança impetrado pela aposentada e extinto pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul devido à necessidade de dar rápida conclusão à ação.

M.D.S.T. impetrou o mandado de segurança contra ato do secretário estadual de Saúde do Estado para obter o medicamento porque a solicitação à Secretaria havia sido indeferida.

O Tribunal de Justiça estadual julgou extinto o processo. Considerou que “o secretário estadual de saúde não possui legitimidade passiva (para responder) no mandado de segurança que visa ao fornecimento do medicamento”. Em seu entendimento, quem deve responder à ação é o coordenador da Coordenação Política de Assistência Farmacêutica, “órgão para o qual foi formulado o pedido”. Inconformada, a aposentada recorreu ao STJ.

O relator, ministro José Delgado, deu provimento ao recurso de M.D.S.T. para deferir o pedido formulado no mandado de segurança. Para o ministro, a proteção do bem jurídico tutelado (vida e saúde) não pode ser afastada por questões meramente formais, podendo o secretário de Estado da Saúde responder a mandado de segurança que objetive o fornecimento de medicamento à hipossuficiente, portadora de doença grave.

“Os artigos 196 e 227 da CF/88 inibem a omissão do ente público em garantir o efetivo tratamento médico à pessoa necessitada, inclusive com o fornecimento, se necessário, de medicamentos de forma gratuita para o tratamento, cuja medida, no caso dos autos, impõe-se de modo imediato, em face da urgência e conseqüências que possam acarretar a não-realização”, afirmou o ministro.

Quanto ao julgamento do mérito sem supressão de instância, o relator destacou que o artigo 515, parágrafo 3º, do CPC permite, desde já, que se examine a matéria de fundo,visto que a questão debatida é exclusivamente de direito, não havendo nenhum obstáculo formal ou pendência instrumental para que se proceda à análise do mérito.



Autor(a):Cristine Genú

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)