Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/06/2014 10:14

Estado pagará R$ 7 mil por danos em decorrência de adiamento de cirurgia

Campo Grande News

Paulo Roberto de Alvarenga Penha será indenizado em R$ 7 mil após ter uma cirurgia remarcada no Hospital Regional de Campo Grande. O fato trouxe sequelas ao ombro lesionado da vítima. A decisão foi publicada em nota divulgada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS).

Consta no processo que em 2009, Penha sofreu uma queda que resultou na ruptura de um tendão em seu ombro direito, por isso, ele precisava passar por uma cirurgia. O procedimento médico foi agendado então para o dia 7 de dezembro daquele mesmo ano.

Ele conta que no dia marcado foi levado para a sala de cirurgia onde foi anestesiado, mas que às 13 horas do dia seguinte foi liberado já que o médico responsável não teria comparecido. O hospital então fez outro agendamento, para o dia 22 de março de 2010.

Ao ser submetido a nova avaliação, foi constatado que a cirurgia não era mais indicada, pois por causa do tempo decorrido, o tendão do ombro de Penha já havia entrado em processo degenerativo. Sob estas circunstâncias, ele moveu ação contra o Estado e o Município, solicitando indenização em R$ 51 mil.

O Estado apelou alegando que a cirurgia aconteceu por fatos ‘alheios à sua vontade’. O Município, por sua vez, também recorreu, afirmando que as sequelas do paciente são reversíveis e podem ser tratadas com fisioterapia e musculação. Os recursos foram negados.

Considerando o descaso decorrente do cancelamento do procedimento e o sofrimento psicológico vivenciado por Penha, a Justiça acolheu o pedido e condenou o poder público ao pagamento de R$ 7 mil, a título de indenização por danos morais. Para o relator, desembargador Luiz Tadeu Barbosa Silva, a vítima tinha razão.

“A situação, além de grave, mostrou-se demasiadamente constrangedora e prejudicial aos interesses autorais, sendo o valor de R$ 7 mil adequado ao fim a que se destina, qual seja, compensar a vítima pelo transtorno, bem como reprimir a reprovável conduta dos recorrentes e desencorajá-los a nova postura negligente de igual natureza, protegendo assim não só os interesses do autor, bem como de outros potenciais usuários do Sistema Único de Saúde – SUS”, disse.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)