Cassilândia, Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Últimas Notícias

13/11/2018 15:00

Especialista ensina a fazer um bom churrasco

Correio do Estado/ PAULA MACIULEVICIUS BRASIL

O que não pode faltar num churrasco? Na opinião da youtuber, cozinheira e assadora Larissa Morales, uma boa companhia, carne de procedência, vinagrete, legumes e chimichurri. Em breve, a paulistana vai saber que, para o sul-mato-grossense, a lista coloca mandioca em primeiro lugar.

Larissa é a primeira youtuber mulher com canal voltado para o churrasco, o Larica na Brasa, e uma das poucas à frente das estações de carnes nos festivais do País. A vinda dela a Campo Grande é para ensinar técnicas de cocção, ao lado da chef Tatianna Cirinno, que vão muito além do espeto e incluem um resgate gastronômico com o churrasco patagônico, sem grelha nem carvão.

“Ele é voltado mais para o tradicional, com referências mais antigas. É feito com bambu, lenha e tudo o que era encontrado naquele local para fazer churrasco”, explica Larissa. O curanto também entra no curso e é das formas de se cozinhar carne que mais despertam interesse da assadora por usar o calor para transformar o alimento que entra bruto e sai um prato feito.

“Você cava um buraco no chão e deixa pedras esquentando na brasa. Faz uma cama de pedras, outra de folhas, e coloca a carne e os legumes. Deixa tampado o buraco e cozinhando neste calor”, descreve.
O infiernillo também será executado pela assadora, tipo de churrasco no qual carne, peixe ou frango são envoltos em uma crosta de sal e colocadas brasas em cima e embaixo. Por fim, outra técnica que Larissa aplica é o varal de frango, em que a peça fica por 6 horas assando para pegar todo o sabor defumado da lenha. “Assim ele mantém toda aquela suculência”, observa.

Tudo que ela ensina foi aprendido com muito estudo e prática. Há três anos, Larissa se dedica ao churrasco. Neste tempo, também ganhou espaço em programas de TV e eventos. “É uma troca de cultura, em cada lugar a gente aprende um pouco”, comenta.

O churrasco sempre esteve presente na alimentação, antes mesmo de Larissa fazer faculdade de Gastronomia. “Qualquer tipo de comemoração, de aniversário na minha família, tem churrasco, até no Natal”, conta. Na terra natal, viu os primeiros churrascos saírem da grelha, em razão de a região usar mais churrasqueiras de alvenarias ou portáteis. “Não é de espeto como no Sul, é um churrasco de parrilha, com influência mais argentina e uruguaia”, explica. “É mais rápido, um churrasco assim é só selar a carne e em 10 minutos o steak está pronto”, afirma.

Sobre ser mulher no fogo e na brasa, Larissa fala que o gênero vem conquistando espaço num universo totalmente masculino. “A gente deve estar aí com 20% de participação. A cada 20 estações de carne, duas são conduzidas por mulheres. É bem pouca a nossa participação, mas estamos chegando lá”.

Quanto às compras, Larissa troca fácil um açougue pelas butiques de carne. “A pessoa quer me dar uma picanha de 2,5 kg? Me empurrar coxão-duro junto? Em butiques, eles entendem do que eu estou falando”, explica.

Para Larissa, carne é sinônimo de confraternização e, nos lugares onde ela tem liberdade, é claro que conduz a churrasqueira. “Não me aguento e acabo assumindo para garantir uma carne boa, macia e suculenta”.

Dicas do Larica na Brasa

Na hora de escolher a carne no açougue ou na butique, a cozinheira e churrasqueira ensina a seguir dicas bem simples e levar para casa um produto de qualidade: “Verifique a coloração da carne; o marmoreio – que é a gordura entremeada na carne, aqueles pontinhos que dão o sabor e fazem criar aquela crosta caramelizada; a maciez – que a gente consegue ver tocando na carne; além de se certificar de onde ela foi produzida, quando foi abatida e embalada e o prazo de validade”.

Saiba

Larissa vem à Capital para o curso Fogos do Mundo, que será realizado nos dias 17 e 18 deste mês – no sábado, das 11h às 17h e, no domingo, das 9h às 17h – e também será ministrado pela chef Tatianna Cirinno.

Durante o curso, os alunos aprenderão mais sobre o churrasco patagônico, indo a fundo nas técnicas cozinha ao ar livre com varas, suspenso, no rescaldo nas cinzas, em discos, pedras, levemente defumado, curado e até enterrado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 15 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
Sexta, 14 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
06:57
Cassilândia
Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)