Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/06/2010 08:01

Equipe econômica recomenda que Lula defina 6,14% para aposentados

Iolando Lourenço e Renata Giraldi, Agência Brasil

Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decide amanhã (15) se veta o reajuste de 7,7% para aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo por mês. No mesmo texto, Lula define se deve ser encerrada a vigência do fator previdenciário – redutor das aposentadorias. O prazo final para as definições é esta terça-feira.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, reiterou ontem (13) que a equipe econômica ratificou a recomendação a Lula para que vete o reajuste de 7,7% e mantenha o percentual de 6,14%. “Nós fizemos a recomendação para o presidente Lula. Ele vai tomar a decisão na terça-feira. Vamos ver como fica”, disse ele, depois da convenção nacional do PT, em Brasília.

Para o ministro, um eventual veto do presidente ao maior percentual não prejudicará a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. “Não tem nada disso. Primeiro, isso não se mistura com eleição”, disse Bernardo. Segundo ele, a orientação para o menor reajuste é uma medida para garantir o equilíbrio das contas públicas.

“Isso significa reposição da inflação, mais 2,6 de aumento real. Ninguém pode dizer que o governo do presidente Lula está maltratando os velhinhos”, afirmou Bernardo.

O reajuste foi aprovado pela Câmara e pelo Senado, que alterou o texto da medida provisória editada pelo governo concedendo a partir de 1º de janeiro deste ano um reajuste de 6,14%. Mas o tema dividiu a base de apoio ao governo.

Para aliados, os percentuais variaram de 6,14%, conforme o acordo firmado com as centrais sindicais, a 7%, defendido pelo líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e a 7,7%, defendido por governistas, como o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e a senadora Ideli Salvatti (PT-SC).

Para autoridades do governo, a aprovação do fim do fator previdenciário (redutor das aposentadorias) foi resultado de falta de atenção de parlamentares da base aliada, que permitiu a votação de uma emenda que estabelecia a nova proposta. Para reverter o resultado, resta apenas o veto do presidente.

Edição: Graça Adjuto


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)