Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/05/2007 18:40

Envolvido na Operação Navalha obtém HC no STF

STF

O ministro Gilmar Mendes concedeu liminar em Habeas Corpus (HC 91386) a um dos envolvidos na Operação Navalha da Polícia Federal. O HC foi em favor do conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Ulisses César Martins de Sousa, que também é ex-procurador-geral do Estado do Maranhão.

O pedido foi feito pela OAB após Sousa ter tido a prisão decretada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em decorrência da operação da Polícia Federal que prendeu autoridades, empresários e servidores públicos por fraude em licitações públicas.

Em sua decisão, o ministro Gilmar Mendes revogou a prisão preventiva decretada e, caso o acusado já esteja preso, deverá ser posto, imediatamente, em liberdade.

O ministro esclareceu que o argumento apontado para a decretação da prisão preventiva do acusado diz respeito ao fato do investigado ter emitido parecer na condição de procurador-geral do Estado do Maranhão, cargo que não ocupa há mais de sete meses.

De acordo com a decisão, um dos argumentos utilizados para a prisão preventiva é o de que seria necessário paralisar a atuação da "organização criminosa", que segundo diálogos interceptados no mês de fevereiro, já estão se preparando para atacar as verbas que serão liberadas para atender o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Para o ministro, “em relação ao caso específico do ora paciente (Ulisses César Martins dos Santos), o decreto de prisão preventiva não individualiza quaisquer elementos fáticos (transcrições de diálogos telefônicos) indicativos da vinculação da atuação da suposta “organização criminosa” à condição pessoal e ou funcional atualmente ostentada pelo ora paciente" (conselheiro federal da OAB).

O relator apontou também a inexistência de relação entre a emissão do parecer jurídico pelo investigado (ocorrida em 14 de julho de 2006) e a apontada iminência de risco de continuidade delitiva pela suposta organização criminosa.

Desta forma, Gilmar Mendes não observou qualquer fundamento que autorizasse a prisão preventiva, prevista no art. 312 do Código de Processo Penal e, portanto, revogou o decreto de prisão de Ulisses César Martins de Sousa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)