Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

29/03/2015 15:30

Entidades de MS querem sistema para monitorar venda e uso de agrotóxicos

Crea-MS, Iagro e MPT discutem a criação desse novo sistema. Objetivo será monitorar desde profissionais até pontos de venda.

Cam

Instituições da sociedade civil e órgãos e entidades do Poder Público estão discutindo a criação de um sistema de monitoramento do comércio e uso de agrotóxicos em Mato Grosso do Sul. Na semana passada foi promovida mais uma reunião neste sentido com representantes do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-MS), da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Nesta última reunião, o engenheiro agrônomo e fiscal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Luiz Angelo Pasqualin, apresentou as instituições sul-mato-grossenses a experiência do Sistema de Monitoramento do Comércio e Uso de Agrotóxicos em seu estado, o Siagro. Ele disse que o sistema está em funcionamento desde 2011 e que possui em seu banco de dados desde informações sobre os profissionais habilitados a prescrever o uso dos defensivos até os estabelecimentos que podem comercializar esses produtos.

O presidente do Crea-MS, Dirson Freitag, aponta que o sistema será um avanço para os profissionais. “Os avanços que pretendemos implantar no receituário agronômico visam facilitar o trabalho de quem o prescreve e a verificação da efetiva participação do profissional na recomendação, que deve estar na base desse procedimento”, destacou.

Já a vice-diretora presidente da Iagro, Marina Dobashi, afirmou que o atual sistema de controle realizado pela agência é manual, mas que já existe um trabalho sendo desenvolvido para que, a exemplo da guia de trânsito animal eletrônica (e-GTA), o sistema para registro na área de agrotóxicos esteja em funcionamento em breve. “Há algumas questões ligadas à legislação para regulamentação do sistema que devem ser alinhadas, mas que já estão sendo debatidas”, disse.

Por sua vez, o procurador do MPT Leontino Lima Júnior, disse que o objetivo do ministério público é fazer com que se crie um sistema que possibilite o controle efetivo do que é comercializado e utilizado atualmente. “Acredito que com o sistema atual não há como se fazer um controle eficaz. O novo sistema deverá filtrar as possibilidades de fraude, organizar dados do que é vendido e de quem receitou, além de permitir um mapeamento das regiões mais consumidoras de agrotóxicos e quais produtos são mais comercializados, por exemplo”, concluiu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)