Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/02/2004 07:44

Entenda mais sobre Nestlé e Garoto

Andréia Araujo/ABr

Em fevereiro de 2002, a empresa suiça Nestlé desembolsou cerca de US$ 250 milhões para adquirir a capixaba Garoto. Por mais de dois anos, a união das companhias foi questionada. Coube ao Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidir se a produção da Nestlé e da Garoto poderiam estar sob um único comando e, se tal configuração, não prejudicaria a concorrência no setor de chocolates.

O processo, entretanto, tramitou na Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae), vinculada ao Ministério da Fazenda, e na Secretaria de Direito Econômico (SDE), vinculada ao Ministério da Justiça. Na Seae o parecer foi favorável à compra. No entanto, o secretário da SDE, Daniel Goodberg, mostrou-se contrário.

De acordo com a consultora da Tendências, Denise Pasqual, especialista em fusão, a decisão do Cade respeitou, acima de tudo, o direito do consumidor. “Essa foi uma decisão muito positiva. Mostra a maturidade do órgão. Buscou a concorrência e protegeu o consumidor”, disse.

Pasqual disse que o principal problema da fusão é a dificuldade de outras empresas de conseguir entrar no mercado brasileiro, por causa da extensão territorial do país. Segundo ela, para uma empresa estrangeira conseguir uma marca forte como o Chocolates Garoto, um parque industrial moderno e um “ótimo” sistema de distribuição é muito difícil. “Com a fusão haveria aumento de preço”, afirmou.

O futuro da maior empresa brasileira de chocolates deve ser a venda para empresas com menos de 20% do mercado. “A venda só não pode ser feita para a Kraft (a dona da marca Lacta no Brasil)”, informou. Com 3,1 mil funcionários e um faturamento estimado em R$ 454 milhões, a Garoto é um negocio bastante atraente. “Não será difícil vender a Garoto”, afirmou Pasqual.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)