Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

16/09/2015 12:00

Entenda como a CPMF pode afetar seu bolso

Band

O governo apresentou uma proposta do retorno da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), na tarde desta segunda-feira, com o objetivo de ajustar as contas públicas. A medida, segundo o ministro da Fazenda Joaquim Levy, seria provisória e não afetaria "tanto" a população. Entretanto, segundo o especialista em finanças e colunista da Band Marcos Silvestre, o tributo pode impactar sim no bolso do consumidor.

O que é?

Para falar sobre o imposto, o primeiro passo é entender que a CPMF é um imposto descontado em cima de qualquer movimentação financeira. A alíquota seria de 0,20%, o que é inferior ao valor original, de 0,38%.

A CPMF será, segundo o governo, responsável por metade do ajuste nas contas públicas e, de acordo com Levy, será provisória, com uma duração de quatro anos.

Para passar pelo Congresso, a PEC que recria a CPMF precisa ser aprovada em dois turnos tanto na Câmara quanto no Senado, sendo necessário quórum de 3/5 dos parlamentares.

Quando foi criado?

No ano de 1996, foi criada a CPMF, mas só em 1997 que a contribuição entrou em vigor, com alíquota de 0,2%.

Em junho de 1999, a CPMF foi prorrogada até 2002, sendo que a alíquota passou a ser de 0,38%, e o objetivo alegado para essa elevação foi o de ajudar nas contas da Previdência Social.

Em janeiro de 2008, após votações na Câmara e no Senado, cobrança de 0,38% relativa à contribuição deixou de ser feita a partir do dia 1º do mês.

Para o colunista econômico do “Café com Jornal”, Marcos Silvestre, a medida é positiva porque mostra uma preocupação do governo em equilibrar as contas para 2016, mas, para ele, falar que a alíquota é “só de 0,20% é uma afirmação leviana”.

Silvestre também revelou que esperava soluções mais criativas para a crise econômica do Brasil.

No programa, ele explicou como a CPMF têm impactos na população mais fortes do que o dito por Joaquim Levy. Ele, inclusive, deu um exemplo: “quando uma empresa vai pagar o fornecedor, ela tem um desconto de 0,20%. Quando paga o funcionário mais 0,20% porque tira dinheiro da conta para fazer isso. Depois, o funcionário tira o salário para colocar na poupança e paga mais 0,20%”. “Só nessa brincadeira, o imposto pode chegar em 1%”, completou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)