Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/11/2004 09:59

Ensino fundamental poderá ter mais um ano de duração

Agência Brasil

O governo federal está incentivando a inclusão de mais um ano no ensino fundamental, para adequar-se ao modelo vigente nos países do Mercado Comum do Sul (Mercosul), também adotado por municípios de cinco estados brasileiros: Sergipe, Rio Grande do Norte, Amazonas, Goiás e Minas Gerais. Com isso, o ensino fundamental passa de oito para nove anos e as crianças são matriculadas com seis anos de idade.

No próximo ano, o ensino fundamental passa a ter mais um ano também no estado do Maranhão e no Distrito Federal, que, com isso, vão aumentar o número de alunos matriculados.

No total, de quase quatro milhões de matrículas no ano passado, em todo o país, a previsão é fechar este ano com mais de sete milhões.

"Várias políticas do Mercosul estão sendo discutidas, entre elas, a da educação. Nela, a validação de diplomas é uma das questões. Se você está na Argentina e quer vir para o Brasil, há diferença no número de anos. Por isso, é preciso adequar o diploma", explicou o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Francisco das Chagas.

Chagas informou que os recursos vêm do próprio Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). Segundo ele, será possível disponibilizar mais verba para estados que necessitem, por conta do acréscimo de um ano no ensino fundamental. Chagas alertou, no entanto, que é preciso haver uma organização do ponto de vista financeiro e também pedagógico.

Durante o encontro nacional que está sendo realizado no hotel Grand Bittar, em Brasília, representantes do MEC e de municípios que já adotam o sistema discutem como os estados terão condições de se preparar melhor para receber crianças de seis anos no ensino fundamental. De acordo com Chagas, a base legal existe e pode ser encontrada no Plano Nacional de Educação e na Lei de Diretrizes e Bases (LDB).

Com isso, as famílias mais carentes terão oportunidade de colocar o filho um ano antes na escola. O MEC busca, assim, universalizar o acesso ao ensino fundamental. "A classe pobre não coloca o filho antes porque não tem oportunidade e porque o ensino fundamental é de sete anos. Os municípios que já têm os nove anos estão de parabéns. Mas isso é um movimento que o MEC está fazendo para universalizar o ensino fundamental", disse Chagas.

Segundo o secretário-executivo do MEC, Fernando Haddad, a taxa de fracasso no primeiro ano do ensino fundamental é elevada. "Isso acontece porque o aluno entra sem condições mínimas. Com a população de mais renda, que coloca o filho de três, quatro anos na escola, o patamar é outro. É preciso que a rede pública também dê esse passo, fazendo com que o ensino fundamental ganhe um ano", afirmou Haddad.

O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Adeum Sauer, disse que a entidade sempre defendeu o aumento do período de ensino fundamental, mas adequando as atividades pedagógicas. "Há três anos, o município de Itabuna, na Bahia, faz isso. No entanto, é preciso ter cuidado para não antecipar o ensino das crianças de sete anos para aquelas que entram com seis. É preciso ter uma contemporização da idade com aquilo que se aprende na escola", alertou.




Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)