Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

11/04/2007 15:54

Energia de MS é a mais cara do País

Após o reajuste de 3,46% no dia 8 de abril passado, a energia elétrica residencial cobrada dos 699.475 consumidores pela Empresa Energética de Mato Grosso do Sul (Enersul) permanece na liderança do ranking da tarifa mais cara do País. O levantamento é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que cedeu às pressões políticas e indeferiu o pedido da concessionária, que pretendia majorar os preços em 21,72%.

Apesar de ter corrigido em 9,83%, em média, a tarifa cobrada das 830,9 mil unidades, a Centrais Elétricas do Mato Grosso (Cemat) continua vendendo energia por R$ 0,3288 o quilowatt, uma das mais baratas do País. A Enersul comercializa por preço 31,8% superior, com o quilowatt custando R$ 0,43364 para o consumidor final.
Este valor é 0,11% maior que o R$ 0,43315 cobrado dos 6,2 milhões de mineiros atendidos pela Cemig, que reajustou as tarifas em 5,16% e está em segundo no ranking entre as mais de 60 distribuidoras. A Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), que reajustou em 3,71% o preço cobrado dos 3,2 milhões de clientes em São Paulo no dia 8, cobra 28,3% menos que a Enersul, R$ 0,33782 pelo quilowatt.

Em relação à Ceam, concessionária dos serviços no Amazonas, o valor cobrado pela Enersul é 67,3% mais caro. Outro exemplo é a Elektro, empresa que atende cinco municípios sul-mato-grossenses da região do Bolsão, que cobra R$ 0,37640 pelo quilowatt dos consumidores residenciais. Em relação aos outros 73 municípios servidos pela Enersul, o valor é 15,2% mais barato. O alto custo da energia, segundo o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Marcolino Longen, trava o desenvolvimento do Estado.

IMPOSTOS

Antes do reajuste nas contas, as oscilações nas alíquotas dos tributos federais, como PIS e Cofins, já surpreenderam os consumidores. O funcionário público Roberto Arce Gomes, 25 anos, reduziu o consumo de energia em 20% ao desligar uma das duas geladeiras. Contudo, a conta só teve redução de 12%, de R$ 191 para R$ 167. Na conta detalhada, a surpresa, os percentuais do PIS e Cofins passaram de 1,3% para 7,54%. A Enersul informou, através da assessoria, que a oscilação da alíquota dos tributos "é normal".



Correio do Estado

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)